Push Comes to Show

Hoje vou falar sobre o sucesso que foi/é a adaptação de Pequenas Grande Mentiras aka Big Little Lies par a tv na nossa #SemanaLianeMoriarty

Quando o livro foi lançado aqui, em 2014, pela Intrínseca, já sabia-se que os direitos de adaptação estavam com a produtora de Nicole Kidman e Reese Witherspoon. Não sabíamos se seria filme ou série, mas eu só queria que fosse tão maravilhosa quanto o livro! Demorou um pouco, mas no inicio de 2016 começaram a filmar e a série foi lançada no inicio do ano passado.
S.U.C.E.S.S.O. 
O elenco da série já era promissor, e Liane, apesar de não ser a responsável pela a adaptação do roteiro, atuou como produtora executiva. Não assisti a serie enquanto todos-assistiam porque sou meio enrolada pra assistir qualquer coisa fora da Netflix (rs) mas fiquei acompanhando os comentários e foi muito lindo ver todo mundo se apaixonando por uma trama que eu já era apaixonada. Depois chegou o Emmy e BLL não só recebeu várias indicações como ganhou a maioria delas:
  • Melhor série limitada
  • Melhor direção em série limitada ou filme televisivo
  • Melhor atriz em minissérie ou telefilme
  • Melhor ator coadjuvante em minissérie ou telefilme
  • Melhor atriz coadjuvante em minissérie ou telefilme
  • Melhor produtor de elenco em série limitada, filme televisivo ou especial
  • Melhor figurino de série limitada ou filme televisivo
  • Melhor supervisão de música

Com todo esse sucesso da critica e do público a dona HBO percebeu a mina de ouro e tratou de encomendar uma 2ª temporada. Assisti essa série há alguns meses e fiquei bem feliz com o resultado porque além de ter belas imagens (amo aquela abertura, o mar), uma trilha sonora bem legal e um elenco que combinou super, também conseguiu levar para as telas as coisas mais importantes do livro. Ainda não sei o que esperar de uma continuação porque a serie terminou bem fechadinha (como o livro), mas espero que eles tragam algo bem maravilhoso, porque eu sempre tenho curiosidade em saber o que acontece depois do FIM do livro.

Agora sabemos que a produtora da Nicole (Blosson Films) e da Reese (Hello Sunshine) também estão com os direitos de adaptação de Até que a Culpa nos Separe, mas não sabemos o que será feito, se filme, ou serie, ou se Nicole e Reese vão estrelar... Particularmente, espero que não. Ou pelo menos, não as duas, porque já as acho muito Celeste e Madeline, mas seguimos aguardando novidades.

O Segredo do Meu Marido vai virar filme (em eterna produção) com nossa eterna Serena Van Der Woodsen, Blake Lively. A adaptação é da CBS Films que já adaptou outros livros como D.U.F.F. e A Fera – filme esse que amo, apesar de não ter boas criticas ♥ - além de alguns filmes como Plano B (da Jennifer Lopes), As Palavras (do Bradley Cooper), E Se... (do Daniel Radcliffe) e O Natal dos Coopers, então eu estou esperando coisa boa e não aceito nada menos que maravilhoso.

E você, já assistou Big Little Lies? Se não assistiu, já leu?

PS.: Os títulos dos posts dessa semana especial são variações (ou o mesmo) dos nomes dos episódios de Big Little Lies.

Burning Lives


Tem um aspecto no estilo que Liane Moriarty escreve que muito me agrada - e é algo que todos os meus autores favoritos fazem. Gosto quando os livros, por mais absurdas que sejam as tramas, trazem um elemento vida-real para a história. Acho que isso é aquele tempero extra que nos faz sentir mais próximos dos personagens, como se aquilo pudesse mesmo estar acontecendo com alguém bem próximo. Os livros de Liane tem esse elemento VIDA-ACONTECENDO, mesmo que as tramas daqueles personagens estejam bem distantes da minha realidade (graças a Deus, devo dizer).

Em O Segredo do Meu Marido, não consegui largar o livro até descobrir o segredo e então, como esse segredo ia afetar a vida daqueles personagens. Lembro que na minha cabeça, eu faria tudo diferente, mas Liane conseguiu deixar as escolhas de cada um tão bem respaldadas que mesmo sem concordar, você acaba respeitando. É bem o-ser-humano-como-ele-é. A vida é muito mais do que sim ou não, certo e errado. E é entre as infinitas possibilidades existentes entre esses extremos que vamos compreendendo cada escolha, aceitando que a escolha do outro pode não ser a mesma que faríamos, mas precisamos respeitar. É complicado, mas necessário.

Pequenas Grande Mentiras também trás todo tipo de personagem complexo e conseguir entender as particularidades de cada um é importante para o entendimento final. mais uma vez vemos relacionamentos familiares, relacionamentos entre vizinhos, conhecidos, amigos... Gosto muito de acompanhar a evolução das relações - as vezes levando-as adiante, as vezes encerrando-as - e acho que Liane trabalha muito bem essas nuances.

Até que a Culpa nos Separe também trabalha muito bem as relações, tanto familiares quanto amorosas e de amizades. A gente percebe que tudo é muito frágil e é necessário expor os pensamentos, porque guardar tudo para si pode ser o principio de um desastre.

Em O Que Alice Escreveu eu mais uma vez encontrei uma história cheia de nuances e expectativas. A construção toda tem ritmo e desperta a curiosidade e  você fia o tempo todo querendo saber o que aconteceu-no-meio-do-caminho que transformou tão drasticamente a personalidade da personagem. E aí quando a gente descobre o que ela esqueceu, percebe que são justamente os detalhes, as nuances que fazem toda a diferença nessa aparente mudança tão radical. E isso é muito vida real. Me deixa fascinada!

Além das relações, todos os livros de Liane tem sempre uma pitada de humor (vida, né) e eu sempre me torno fã dos personagens que trazem essa especie de "alivio cômico" para a leitura. Se você gosta de tramas com esses aspectos mas que também reúnam esse Q de mistério, pode já procurar algum livro da Liane Moriarty para ler, porque eles são a pedida!

Liane's Dream


No final do ano passado tivemos aqui no blog uma semana especial de Jojo Moyes, que como vocês já sabem, é uma das minhas escritoras favoritas ♥ Você pode conferir os posts clicando AQUI

Agora chegou a vez de outra semana especial dedicada a uma escritora que também figura minha lista de favoritas – mas num estilo diferente de Jojo – Liane Moriarty!! 

Se você não sabe minha história com a Liane é porque não conferiu a resenha do primeiro livro que li dela, em 2014, então clique aqui e saiba sobre O Segredo do meu Marido. A minha dica é ler a amostra do livro disponível na Amazon porque se você for uma pessoa curiosa como eu, vai ficar louca querendo saber que tal segredo é esse e só vai ter paz depois que ler e conferir a história toda. Esse foi o quinto livro de Liane e assim que foi lançado, tornou-se um verdadeiro sucesso, ficando no #1 da lista de Mais Vendidos do New York Times (o sonho de todo escritor não é mesmo?). Sucesso super merecido porque esse livro é incrível e, por ter sido meu primeiro contato com a autora, tenho muito carinho e recomendo a todos.

Depois desse amor-a-primeira-leitura, fiquei bem atenta a qualquer lançamento de Liane por aqui e então, em 2015, foi a vez de conhecer Pequenas Grandes Mentiras – sim, Big Little Lies – que mais uma vez me deixou impressionada com a capacidade dessa escritora em criar tramas cheias de níveis e reviravoltas tão incríveis que a vontade é aplaudir de pé – sei que não se faz isso com livros, mas eu tenho vontade. Esse livro ganhou grande notoriedade no ano passado pois foi adaptado para uma série de TV (da HBO) com um elenco todo estrelado e ganhou vários Emmys (ganhou, inclusive, uma segunda temporada que estou ansiosa e com medo at_the_same_time). Para ver minha resenha do livro, antes de toda a fama ganha com a série, é só clicar AQUI

Ano passado, a Intrínseca lançou por aqui e tive o prazer de ler Até que a Culpa nos Separe (publicado originalmente em 2016 porque ela anda muito ocupada com adaptações) e mais uma vez fiquei impressionada com a capacidade que ela tem de criar personagens femininas tão complexas e cheias de camadas. Os direitos de adaptação deste livro também foram comprados pela produtora da Nicole Kidman e Reese Whiterspoon (espertas, já que BLL foi só sucesso). Leia a resenha completa AQUI. Sou fã, real.

E agora a Intrínseca (editora oficial da Liane por aqui) está trazendo O que Alice Esqueceu, o terceiro livro da carreira de Liane. Ela é tão poderosa que em 2014, teve 3 (TRÊS) livros aparecendo simultaneamente na lista de Mais Vendidos no The New York Times (depois que ela apareceu lá a 1ª vez, foi só sucesso): O Segredo do Meu Marido, Pequenas Grandes Mentiras e O que Alice Esqueceu, então acho que você tem vários motivos para querer ler Liane!
 A resenha saiu ontem, e sexta-feira teremos a promoção para que você ganhe um e possa ler também.

Eu Li: O que Alice Esqueceu (What Alice Forgot)

E vamos começar essa #SemanaLianeMoriarty com resenha!!! E, bem, estou totalmente empolgada para compartilhar minhas impressões sobre esta leitura porque passei o fim de semana me deliciando com esse livro e estou aqui cheia de argumentos para te convencer a ler também! Mas fique tranquilo, nada de spoilers porque você precisa ser convencido a ler e 

Quem acompanha esta leitora aqui, sabe que Liane Moriarty é uma de minhas escritoras favoritas e meu amor pelas histórias dela começou há alguns anos, quando conhece O Segredo do Meu Marido. Quando a Intrínseca anunciou que publicaria por aqui o Alice, fiquei bem empolgada (o livro já teve edição brasileira, mas saiu de linha) porque eu sempre tive vontade de ler esse livro - afinal, é da Liane. Quando soube que teríamos essa semana especial para falar dela (e eu li tudo que a Intrínseca lançou de Liane por aqui) precisei participar! Esse blog funciona com regularidade quando envolve meus escritores favoritos porque é minha forma de registrar meu apreço ♥

Em O Que Alice Esqueceu conhecemos Alice (!), que é a nossa protagonista esquecidinha. Alice é uma mulher prestes a completar 40 anos, mas depois de sofrer um acidente numa aula de step, ela acorda pensando ter 29 anos. Então a gente começa a leitura na mesma situação que a Alice, sem saber muito o-que-que-ta-acontecendo. Acontece que esses 10 anos que Alice esquece, foram 10 anos bem significativos em sua vida (e de quem não seria?), em que muitas coisas mudaram, então ela acorda e percebe que essa pessoa em que ela se transformou não é exatamente a pessoa que ela imaginava que seria quando estava lá com seus 29 anos (super compreensível, eu também não sou a pessoa que eu me imaginava quando tinha 18). Sem conseguir lembrar de nada que aconteceu em sua vida ao longo desses 10 anos, a nova Alice é jogada na vida dessa Alice que ela não reconhece (que é ela mesma) e tenta descobrir o que aconteceu com ela que a transformou nessa pessoa que ela não acha nada legal (que é ela mesma).

Confuso? Nem tanto.
Alice detestava a pessoa que tinha se tornado. A única parte boa eram as roupas.
Aos 39 anos, Alice é a super mãe de 3 filhos, super engajada na escola das crianças e na vizinhança, super ocupada, super atlética - coisas que a Alice de 29 anos jamais imaginou que poderia ser. Alice também está se divorciando de seu marido Nick, com quem ela pensava (aos 29 anos) que iria viver feliz para sempre. Então depois da confusão inicial, quando Alice acorda pensando estar em 1998, gravida de seu primeiro filho, reformando a casa recém comprada com o amado marido Nick, Alice decide que vai colocar sua vida de volta aos trilhos, no estilo que ela imaginava que deveria ser - afinal, o que pode ter acontecido nesse 10 anos para ter estragado o relacionamento perfeito dela com o marido? 

Esse foi o 3º livro (adulto) publicado por Liane Moriarty (2009/10) então eu não senti muita diferença no estilo dela que eu conheci em seu 5º livro. A trama toda é bem amarrada, com aquele fator mistério - sempre presente nas tramas dela - e o ritmo do livro faz a gente não querer largar a leitura (eu leio devagar e tenho pouca concentração, então quando consigo focar num livro acho louvável). Veja bem, apesar da narrativa em 3ª pessoa (a parte da Alice), a gente também está tateando tudo no escuro e a nossa vontade é saber O QUE ACONTECEU na vida de Alice nesses 10 anos que a transformou nessa pessoa não tão legal que ela aparenta ser? A trama toda é bem amarrada, como todos os livros de Liane, porque ela sempre trás a tona esse fator a-vida-acontecendo que torna as personagens dela tão falhas e tão cheias de momentos que é como se fosse apenas o curso da vida. Quer dizer, é compreensível pensar que em 10 anos MUITA coisa pode mudar {imagine se você perdesse 10 anos de sua vida: a pessoa que você é lembra em algo quem você foi?}, mas a forma como as coisas mudam é bem radical e isso nos faz questionar muitas coisas #medo. Gosto muito dessas nuances, de perceber como a vida é o que pequenos momentos fazem dela, entende? As vezes uma ação solta não significa nada, mas entrando num contexto maior, ganha outra significância. E esse livro fala muito sobre isso.
Ela parou de falar, pois estava lembrando como era terminar com alguém. As conversas ficavam terrivelmente emaranhadas. Era necessário ser educado e preciso. Não se podia mais criticar de maneira segura, afinal esse direito tinha sido perdido
Além de Alice, também temos partes do livro narrado pela irmã mais velha dela, Lizzie - de quem ela acabou se distanciando e também posts de um blog da avó delas, Frannie. Gostei muito da forma que essas outras narrativas foram inseridas porque nos aproxima dos personagens de uma forma diferente. As partes narradas por Elizabeth são cartas que ela escreve por recomendação de seu psiquiatra e é interessante ter a perspectiva de outra pessoa sobre os acontecimentos (até porque Alice esqueceu tudo). e o blog de Frannie é um achado! É bem divertido acompanhar o modo como ela conta a situação para os leitores e os comentários #saudadesconversasemcomentarios
E como posso questionar meu temperamento nessa idade? Estou velha demais pra isso. Já está muito tarde para mudar de personalidade! Mas, no fundo, estou tão insegura quanto há quarenta anos.
talvez nunca mude, não é Frannie?
Eu não esperava nada menos que SENSACIONAL para essa leitura e posso dizer que Liane não me decepcionou (ela nunca fará isso) e foi maravilhoso acompanhar a história de Alice. É uma leitura divertida, dinâmica e com aquela pitada de mistério que me deixa empolgada. É também uma leitura emocionante e eu vou confessar que chorei em alguns momentos (e eu já falei que não choro fácil! Se bem que ultimamente...). Acho que a ideia toda da trama é muito boa e acompanhar esse duelo entre quem a gente imagina que vai ser X quem a gente se torna é realmente algo a se pensar! Sem contar que QUANDO A GENTE DESCOBRE O QUE ACONTECEU!!! 

Bem, vocês terão que ler e vir conversar comigo! Amanhã tem mais Liane por aqui e no fim da semana teremos SORTEIO desse livro!