Eu Li: Mentirosos (We Were Liars)

Recebi Mentirosos da Seguinte para resenhar. Eu ainda não havia lido nada da E. Lockhart, mas devido a tantos comentários positivos que ouvi sobre O Histórico Infame de Frankie Landau-Banks eu realmente não esperava nada menos do que ótimo para definir este novo livro. E vou contar: posso usar SENSACIONAL feat FANTÁSTICO pra fazer essa definição sem exagerar. Mentirosos tem uma trama que vai fazer você devorar o livro e ficar completamente maravilhado com os acontecimentos e descobertas.

Na família Sinclair todos são lindos, ricos, bem sucedidos, inteligentes e felizes - ao ao menos é essa a fachada que eles mantém para o resto da sociedade. Como toda a família, eles também vivem seus próprios dramas internos, sempre embrulhados em dourado com uma fita vermelha. O livro é narrado por Cadence Sinclair, a neta mais velha de Harris Sinclair, o patriarca da família. Todo verão a família Sinclair se reúne em uma ilha particular onde Harris e a esposa tem uma grande casa e construíram casas para cada uma das três filhas e suas respectivas famílias. Cadence e os primos Mirren e Johnny, e Gat - o amigo de Johnny - todos com a mesma idade, passam todos os verões juntos desde crianças e foram apelidados de Mentirosos pela família. O livro começa com Cady nos contando sobre a família e a dinâmica deles durante os verões.
Bem-vindo, mais uma vez, à bela família Sinclair. [...]
Acreditamos, embora não digamos de maneira tão explícita, em remédios controlados e drinques antes do jantar.
Não discutimos nossos problemas em restaurantes. Não acreditamos em demostrações públicas de angustia. [...]
...e essa é só uma das facetas da família Sinclair.
A vida de Cadence seria perfeita se ela não sofresse com fortes dores de cabeça e precisasse tomar muitos remédios depois que algo misterioso aconteceu na ilha no verão em que ela completaria 15 anos e além de ter perdido parte da memória devido ao trauma do que aconteceu, ela não se conforma com o modo como todos parecem condescendentes com dela desde o acontecido. O que pode ter lhe ocorrido de tão ruim para ela ter perdido a memoria e todos agissem como se ela não pudesse suportar a verdade? Dois anos depois, Cadence volta a ilha com a mãe para mais um verão e como ninguém parece querer contar nada pra ela - nem os próprios primos mais próximos, os mentirosos - ela decide que vai anotar tudo o que conseguir para reconstruir a parte perdida do verão e lembrar do que aconteceu,

Cadence é o tipo de protagonista jovem e feminina que muito me agrada. Obviamente ela não lembra de muita coisa que aconteceu, mas gosto de como ela narra sem parecer vitimizada - embora o tempo todo a gente tenha a sensação de algo de muito ruim aconteceu a ela. A autora também acertou porque apesar do grande mistério que envolve toda a trama, não fica aquela coisa arrastada e irritante. Achei a dinâmica familiar outro ponto forte da trama. Desde o principio a gente percebe que aquela família é cheia de problemas mas é no desenvolver do livro que vamos notando pequenas coisas que acabam se fazendo importantes pro cenário final.

Eu também adorei os Mentirosos! Entre os quatro, Johnny é meu favorito porque ele é estalo, iniciativa e sarcasmo (sic). Adoro o estilo sarcástico-divertido dele e eu sempre adoro personagens assim! Mirren também é uma boa prima, apesar de escusa! E Gat é com certeza bem interessante porque ele não é só o forasteiro (sabe, ele tem uma aura The O.C), ele é inteligente e complicado - e além disso é o objeto de afeição de Cady e acho que já deixei claro como adoro um bad romance.
— Estou fazendo tudo errado - ele diz. — O que me diria se eu pedisse para começar de novo?
— Minha nossa, Gat.
— O quê?
Peça de uma vez. Não pergunte o que eu diria se você pedisse.
A narrativa do livro é uma delicia, comecei a ler numa manhã de domingo e tudo fluía com tanta naturalidade e a trama é tão instigante que eu quase não parei de ler até descobrir a verdade! Vocês sabem como sou devagar e fiquei surpresa por ter lido tudo em algumas horas (mesmo sendo um livro pequeno). Dou todos os créditos a forma que a autora moldou a trama, que além de ser bem escrita nos faz ter esse anseio de saber mais e mais sobre os Sinclair - e os mentirosos.

Eu poderia escrever muito mais sobre o livro, mas esse é o tipo de enredo que quanto menos você souber, melhor serão suas reações! Fiquei muito empolgada em ir montando o quebra-cabeças (junto com a cabeça quebrada de Cadence - sorry, não pude deixar passar esse trocadilho ruim). No mais, a editora seguinte fez um ótimo trabalho com tradução e desenvolvimento do livro. Quem tiver lido e quiser conhecer a comunidade de leitores, vem neste site conspirar!

A dica é: Se você estiver numa livraria e se deparar com Mentirosos, não se engane apenas pela capa prateada e o título. Compre o livre, de de presente, leia, e me mande mensagens pra gente conversar sobre a trama. Quero muito que todos leiam para conversar comigo sobre ele! Se você já leu, me diz nos comentários ou no Twitter o que achou!

Eu Li: A Vingança dos Sete (The Revenge of Seven)

Os Legados de Lorien é foi uma  série que comecei a ler apostando na fé - e no filme que tinha o Alex Pettyfer -qqq. Gostei do primeiro livro, mas confesso que não depositava grandes expectativas no enredo, uma vez que tudo envolve extraterrestres com superpoderes e a Terra em risco de invasão por alienígenas malvadões. A parte boa da minha falta de expectativa foi que pude vê-la crescer com o evoluir da série e hoje, a cada livro que leio, posso dizer que gosto ainda mais dela. A Vingança dos Sete é o quinto volume da série (a previsão, por enquanto, são de sete livros). A resenha tem leves spoilers dos livros anteriores. Para quem não leu as resenhas anteriores, os links abaixo irão te situar:


Recebi o livro da parceria com a Intrínseca e comecei a leitura com muita calma, uma vez que quase sempre começo sem lembrar exatamente o que aconteceu no anterior - e isso me deixa meio desorientada e demora um tempo até que eu me situe. Me absolvam, faz mais de UM ano que li o anterior! Por sorte, não demora até que a gente entenda o que está acontecendo e entre de cabeça na trama.

Dessa vez, temos as narrativas variando entre John (4), Seis e Ella (10). Só isso já me deixou surpresa pois eu realmente esperava que num livro que leva o nome de Sete fossemos ter uma narrativa com o ponto de vista dela, mas pelo visto, Pittacus resolveu ousar e fazer tudo diferente - como sempre.

Depois dos acontecimentos do livro anterior, sabemos que a Garde está em perigo (as always) e eles precisam mais do que nunca unir forças para acabar com Setrákus Ra e impedi-lo de continuar com seus planos maléficos de invadir a Terra e dominar tudo por aqui. O problema está no fato de que eles foram traídos e  isso acabou fazendo-os perder um pouco o senso de direção. Agora, além de lidar com os acontecimentos recentes (traições, sequestros, invasão, guerra), eles precisam de um milagre pra ajudá-los a salvar o planeta.

Acho que os autores são bem espertos ao escolher os pontos de vista porque geralmente os que narram são aqueles que partirão em missões separadamente e isso nos faz acompanhar várias coisas ao-mesmo-tempo. Gostei da conhecer um pouco mais sobre a Ella, porque entre os membros da Garde, nunca tive muito interesse. Mas a grande questão é que Ella é uma personagem fundamental na atual situação e é realmente incrível algumas descobertas que fazemos nesse livro.
— A raiva é último refúgio do ignorante.
#sabedoriaMog
A Vingança dos Sete tem uma trama bem movimentada e instigante. Depois que peguei o ritmo, quase não tinha vontade de parar porque a mudança de pontos de vista e as coisas que estão acontecendo são realmente interessantes e a gente só quer saber onde iremos chegar com tudo aquilo. É muito bom acompanhá-los agora que eles tem um propósito e já estão bem familiarizados uns com os outros. Esse livro também trás algumas revelações sobre os poderes da Garde e o motivo de Strákus Ra liderar os mogs e ser tão adorado por eles. Existe algo de conspiracional neste livro que tornam as coisas bem interessantes. Na verdade, algumas descobertas me plantaram uma semente de desconfiança sobre as verdadeiras intenções de Lorien em toda essa confusão intergaláctica.
 Segundo as histórias do Grande Livro, nosso povo estava quase extinto antes da chegada do suposto Adorado Líder. Os nascidos artificialmente e a pesquisa genética de Setrákus Ra salvaram nossa espécie. - Adam faz uma pausa, e um sorriso de escárnio se forma enquanto ele reflete sobre o que acabou de dizer. — Mas foi Setrákus Ra que escreveu o Grande Livro, então quem sabe?
Outro ponto positivo é que nesse livro não existe muito tempo para romance e realmente a ação prevalece. Desculpem, mas não tenho muita paciência para o casal 4 e Sarah! Também fiquei feliz porque um certo personagem reapareceu pra ajudar e isso me deixou bem feliz. Apesar de grande parte das coisas estarem dando errado, pelo menos vez ou outra aparece alguém com boas intenções aparentemente.

Esse livro termina de uma forma bem COMOASSIM, Caleb? e eu juro que tive até que reler os últimos parágrafos pra ver se eu não tinha deixado passar algo porque o que acontece é realmente whadafãca. Fico me perguntando porquê me fazer sofrer assim! Não é justo, até porque nem sei quando o próximo volume sairá e terei que passar mais um ano tentando descobrir como, onde e porquê.

Como comentário final, não posso deixar de citar novamente o problema com as traduções dos títulos. Claro que no 5º livro da série, parece meio redundante reclamar disso, até porque não há mais o que fazer, mas essas traduções acabaram virando uma bola de neve! Por outro lado, juro que não entendi o motivo do título focado na Sete, sendo que não achei que ela teve algum papel de destaque em nenhum tipo de vingança. Na verdade, apesar de ser um livro com muita ação não achei que existe o fator 'vingança' tão explicito assim - principalmente vindo da Sete, então realmente não entendi a escolha do título. Certo que os autores queriam usar um número em cada volume, mas precisava escolher vingança? Eu vi uma guerra iminente, mas vingança não. Não mesmo.

Eu Li: 365 Dias Extraordinários (365 Days of Wonder)

365 Dias Extraordinários é um companion book do livro Extraordinário, lançado também pela editora Intrínseca e escrito pela R. J. Palacio. Eu acabei não lendo o Extraordinário antes dessa leitura, mas acredito que isso não faça muita diferença pois este livro tem uma proposta bem diferente. 

Neste livro, um personagem de Extraordinário - o sr. Browne - é o responsável por contar  alguns algumas curiosidades sobre sua vida como professor e como ele, de fato, se tornou o professor que todos conheceram em Extraordinário. Achei bem interessante porque pensei que  livro era apenas com os 365 preceitos reunidos para cada dia do ano e na verdade, a cada mês, também podemos ver o próprio sr. Browne contando um pouco sobre situações que viveu sendo professor ao longo dos anos e principalmente sobre a época que lecionou para Auggie (o personagem principal do Extraordinário).

É sensacional a forma como a R.J. escreveu o livro na visão do professor, como se ele fosse o verdadeiro escritor da coletânea, e como ela soube mesclar os preceitos variados - citações famosas, desconhecidas e recebidas por leitores desde que ela lançara o primeiro livro. Outro ponto legal dessa narrativa do sr. Browne entre os preceitos é que com ela nós conseguimos entender algumas das motivações e inspirações do professor e isso também acaba trazendo explicações sobre alguns dos preceitos citados por ele.


Confesso que as partes de texto do sr. Browne me deixaram ainda mais curiosa pela leitura de Extraordinário (que é o próximo da fila) porque ele conta algumas situações que já são conhecidas de quem leu o primeiro livro. Existe até uma revelação importante no enredo, que imagino ser um segredo do livro do Auggie e que agora eu já sei! Mas como não me importo com spoilers (embora nem considere isso um spoiler) adorei a leitura e principalmente a sensação boa que me trouxe. Acho que com esses pequenos preceitos e trechos do sr. Browne, consegui sentir o clima do livro-origem e com isso, acho que entendi porque o livro é tão encantador e emocionante para aqueles que já tiveram a oportunidade de ler e conferir a história toda. Também achei muito interessante que o livro parece bem direcionado ao púbico mais jovem (com seus 11-13 anos), já que é o sr. Browne que o escreve, mas é o tipo de  historia tão encantadora que agrada ao publico mais velho e encanta da mesma forma.



Um livro cativante, com uma proposta diferente e linda que com certeza, vai agradar a qualquer um que goste de uma boa reflexão. Gosto principalmente das citações que se referem a amor e gentileza. Acho que são sentimentos que valem a pena espalhar por aí, porque nunca são demais! Não deixe de ler e acima de tudo, tente utilizar alguns preceitos no seu dia-a-dia pois eles tem muito a ensinar! Eu vou realmente carregar alguns na minha mente!

Retrospectiva Literária 2014


E lá se vai 2014... Foi um bom ano, Hazel Grace pessoas.... Mas como sempre, espero que 2015 seja ainda melhor! Tenho certa implicância com anos impares, mas o fato é que eles sempre acabam sendo melhores que meus anos pares #soudessas. Como nos 3 anos anteriores, aqui está a Retrospectiva Literária do Pensamento Tangencial. Esse ano consegui ler exatamente a mesma coisa que ano passado, bem aos 45 do segundo tempo (terminei um livro que estava estacionado só pra bater o mesmo número. É. Hahahahah)

Vamos as minhas respostas para as tradicionais questões de retrospectiva! 
Esse ano tem perguntas novas!
(abrindo o Skoob para lembrar o que eu li este ano)


A aventura que me tirou o fôlego: Acho que não é surpresa porque todo ano eu cito essa série, mas é que se tratando de aventura não há coisa melhor na minha vida. Mas olha, prometo que é a última vez que cito Os Heróis do Olimpo, tá? só porque a série acabou, aí não tem jeito mesmo. Fiquei sem ar com O Sangue do Olimpo, vai deixar saudades os meus meninos (e meninas) semideuses.

O terror que me deixou sem dormir: Eu não leio terror (sempre digo isso). Li uns livros que me tiraram o sono, mas não são exatamente terror, então não posso citar nesta categoria.

O suspense mais eletrizante: Suicidas me deixou apavorada mas não creio que ele seja suspense... Não sei o que o livro é além de TOTALMENTE APAVORANTE. Valeu, Raphael Montes, por me tirar noites de sono.

O romance que me fez suspirar: A Garota que Você Deixou para Trás. Jojo como sempre me desidratando!

A saga que me conquistou: Não é exatamente uma 'saga', mas Silo, o primeiro livro da trilogia do Hugh Howey me deixou impressionada!

O clássico que me marcou: próximo!

O livro que me fez refletir: Eu pensei bastante com A Verdade Sobre Nós...

O livro que me fez rir: eu sempre me divirto lendo, mas vou citar Ai Meus Deuses porque adorei como a Tera Lynn escreve. Muito divertido.

O livro que me fez chorar: Pra não citar Jojo novamente, escolho Um Caso Perdido, que me fez chorar - e eu não costumo chorar com leituras!!

O livro de fantasia que me encantou: Sempre fico confusa com o que é livro de fantasia... Sei não...

O livro que me decepcionou: Até que teve bastantes... Divergente foi um dos que li achando que entraria pro time de fãs e achei bem qualquer coisa. Destinada foi outro livro que eu esperava bem mais e não curti muito a leitura como imaginei. E também teve o Desejos...

O livro que me surpreendeu: acho que surpreender não é a palavra porque eu já esperava que ele fosse bom, mas adorei realmente o As Batidas Perdidas do Coração da Bianca Briones.

O thriller psicológico que me arrepiou: Absolutamente, os dois livros do Raphael Montes que li. Dias Perfeitos entra nesta categoria.

O livro mais criativo: - - - 

O melhor HQ: não nenhuma HQ.

O infanto-juvenil que se superou: Não li nada especificamente infanto-juvenil.

O livro que mudou a minha forma de ver o mundo: Acho que tudo que leio acaba tendo alguma relevância no modo como encaro a vida, mas O Segredo do Meu Marido e A Verdade Sobre o Caso Harry Quebert me mostraram coisas interessantes sobre as pessoas.

A capa mais bonita: Amo a capa de Época de Morangos - acho uma capa tão gostosinha, tem um clima tão bom, sabe? Combina com o livro!

O livro que li em um dia: Vale 24 horas, mas cruzando dois dias? Dias Perfeitos.

O primeiro livro que li no ano: o livro em e-book da minha amiga Nath, Nunca te Disse.

O último livro que terminei: Foi O Sangue do Olimpo - enquanto escrevo, embora até a noite, terei terminado outro!

O livro que abandonei: Foi um livro que abandonei por uns meses, mas consegui voltar a ler e terminar: Desejos, da Alexandra Bullen.

O livro que li por indicação: Não foi exatamente por indicação porque foi uma meta que eu tinha e aí convenci uma amiga a ler para ler junto, mas quero citar Antes de Morrer. Que achei bem bom, apesar da protagonista (e achei o filme melhor. É)

A frase que não saiu da minha cabeça: "Esperar que um dia as coisas melhorem: talvez seja isso o amor..." em Harry Quebert

O(a) personagem do ano: Vou escolher a Juliette de Silo porque a mulher é phoda apenas. Uma verdadeira MacGyver do século XXI

O casal perfeito: Gostei de vários casais, mas vou escolher Remy e Brooke, de Real.

O(a) autor(a) revelação: Adorei o trabalho do Raphael Montes, na parte nacional. Os internacionais fico com Jöel Dicker e Hugh Howey.

O melhor livro nacional: Não consigo escolher!!!

O melhor livro que li em 2014: Como sou uma pessoa que ama um romance, só posso escolher A Garota que Você Deixou para Trás e também O Segredo do Meu Marido que são apenas os livros que mais indiquei em 2014.

Li em 2014 44 livros.

Li em 2014 não consigo contabilizar páginas.

Comprei em 2014 olha, não consegui contar, mas imagino que tenha ficado entre 40 e 50 livros. E estou sendo otimista.... Afinal, teve Bienal e muitas promoções!

A minha meta literária para 2015 é: 40 livros, Mantenho minhas metas baixas para não me decepcionar.