Eu Li: Paixão, Drogas e Rock'n'Roll

O livro de estréia de Daniela Niziotek é forte. E quando eu digo forte, me refiro a algo realmente pesado, não de forma dramática, mas de forma extremamente tensa e emocional. Como o nome sugere, o livro fala sobre rock, drogas e paixão acrescente sexo e você saberá onde está se metendo. PDRR, se passa nos anos 90 e narra a história de paixão entre Vicky, uma garota de 18 anos que acaba de entrar na universidade e um rockstar por seu comportamento destrutivo, Brian Blue, líder da banda Fears – aproximadamente 10 anos mais velho. Os assuntos abordados no livro são 'polêmicos' (vamos chamar assim) e tudo é tratado de forma muito explicita, sem rodeios, visceral. 

Os dois se conhecem quando a banda vem fazer um show no Brasil e logo surge uma paixão intensa, que os leva a extremos inimagináveis. Brian é um cara excêntrico, com um comportamento típico dos astros do rock dos anos 90 – e tenha em mente a época em que se passa o livro. Ele tem uma historia de vida bem tensa e isso se reflete na forma que ele lida com a fama e as situações vividas. Ele parece arrogante a principio, mas é só porque nunca teve alguém que o contrariasse...
- Eu venho ver você. Eu tenho um avião a minha disposição, isso não é problema. Quando estiver se sentindo mais segura, pode ir pra lá também. Está tudo bem.
[...] Ela estava ultrajada! Resolveu jogar a sua ultima carta.
- E eu não vou transar com você! – ela disse num tom desafiador.
As sobrancelhas dele se uniram e ele se levantou. [...]
- Você é realmente impossível, sabia? – era mais uma manifestação de carinho do que uma queixa de verdade.
- Mais do que você imagina! – ela desafiou novamente.
- Eu espero – ele disse tranquilamente.
- Você o quê!? – Ela estava incrédula.
- Eu espero por você. Acho que é justo que seja cautelosa, mas não precisa ter tanto medo. De qualquer forma, eu posso esperar. Vai acontecer a qualquer momento mesmo.
Vicky, embora nova, enfrenta as coisas de forma tão madura que você pensaria que ela já teve muitas experiências de vida – e ela não teve. Eu a compreendi completamente, mas me peguei pensando se no lugar dela eu teria espirito para suportar o que ela passou. Se bem que, considerando o estado em que ela se encontra (paixão, amor – acho que denominações aqui não fazem diferença), talvez eu fizesse exatamente o mesmo. Realmente gostei muito dela, ela é surpreendentemente forte e perspicaz pra alguém tão jovem e não acostumada a vida louca de um astro do rock.

A relação entre os dois é extremamente conturbada e passa por muitos altos e baixos – muitos. Eu gostei muito deles e realmente torci pelo casal. Também gostei de todos os outros personagens –  tão problemáticos! – e o livro me prendeu do começo ao fim (Comecei a ler o livro às 2 da manhã e quase não dormi para terminar – e acredite, isso NUNCA acontece comigo. Eu iria ler só um capitulo, e acabei lendo ate a metade!). Fiquei realmente sensibilizada com todas as situações e angustiada junto com Vicky e Brian. Também achei os diálogos tão... dinâmicos. O livro todo deixa aquela sensação de apreensão! Mas também há os momentos de descontração e humor (sim).
- Onde está Brian?
- Eu não sei. – ela respondeu mal-humorada.
Ele riu de novo.
- É insuportável, não é?
- O que?
- Quando todos perguntam: Onde está Brian? Não perguntam como você está e nem dizem olá, apenas onde está Brian. As vezes tenho vontade de tatuar na pele: Eu não sei onde Brian está.
Desta vez vez ela riu, divertindo-se com aquela figura estranha.
Esse não é o tipo de livro que eu recomendaria para você emprestar para sua prima pré-adolescente ou para sua avó (certamente ela ficaria chocada). Embora eu super recomende o livro por ser uma leitura muito interessante, você precisa ter a mente muito aberta e uma cabeça muito boa para entender o livro e não julgá-lo mal. Você precisa entrar na história e viver o contexto dos personagens, a realidade deles, para conseguir compreender tudo o que acontece sem ficar apavorado.

PDRR não é um livro 'fácil de digerir', aceitar ou compreender, mas se você se adaptar a esses pontos poderá gostar tanto quando eu. A minha dica é não ficar impressionada com as cenas fortes que você lerá. E também acredito que se você tem convicções religiosas ou morais muito restritas e inflexíveis, não será seu melhor tipo de leitura, pois o livro é bem contraditório. Ele é denso, tenso, despudorado e até um pouco depressivo. Incrivelmente, isso só me fez admirá-lo mais (embora eu não seja uma tresloucada). Acho que a autora conseguiu ser de uma sensibilidade – minha opinião – incrível, retratando algo tão forte. Eu consegui me colocar nas situação mesmo sem viver – nem de perto – situações parecidas (e nem gostaria, pra ser sincera).

Eu já sabia o que me esperava ao começar a leitura, mas fui surpreendida por um enredo diferente de tudo o que já li. Achava o assunto interessante, mas ler sobre isso de uma forma tão explicita me deixou realmente aflita, ansiosa, curiosa! Para muitos, pode incomodar a aparente rapidez com que as coisas acontecem, mas como eu expliquei, é um livro intenso e a velocidade da narrativa serve para mostrar o quanto as coisas são agitadas na vida dos protagonistas. Acho também que a diagramação pode deixar os mais exigentes um pouco confusos, já que muitas vezes os cenários mudam sem ter uma 'separação' certinha. É tudo rápido e de um parágrafo para outro tudo pode se transformar. 

Terminar a leitura foi um choque. Eu já estava esperando por tudo (e você deve esperar), mas a tensão final foi tão forte que eu quase me descabelei. Na verdade, apesar do fim ter me deixado desolada, eu acredito que tenha sido o final perfeito, perante tudo o que aconteceu. O livro me deixou de uma forma que eu penso em relê-lo e omitir o fim, só pra poder fazer o meu happy ending, pois em muitos momentos eu tive vontade de mudar o que estava acontecendo!

Sinto muito galera, acho que minha resenha não passou nem 10 % do que eu realmente senti com essa leitura, mas eu fiz o máximo para tal. Se tiverem coragem e/ou curiosidade leiam, é interessantíssimo!

29 comentários:

  1. Ouvi tantas críticas boas que fiquei morrendo de vontade de ler. Fora que a capa é bem legal ;D

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Tem cenas fortes?
    Eu to com este livro aqui em casa esperando a oportunidade dele,mas como gostei muito da sua resenha, acho que será um dos próximos.
    Fiquei mesmo bem curiosa.

    Balaio de Livros.

    ResponderExcluir
  3. De primeira vista fiquei só "a fim" de ler depois
    lí resenhas que me deixaram curiosa com relação a ele, mas a sua resenha me deixou MORRENDO de vontade de ler. Sou o tipo de pessoa que gosta desse tipo de leitura, se for tão intenso quanto diz com certeza vou amar.

    "Ele é denso, tenso, despudorado e até um pouco depressivo."

    Já decidi qual o próximo livro da lista de futuras compras, esse passou para o primeiro lugar.

    ResponderExcluir
  4. gostei! como faz? agora quero ler, rs.

    J.
    -The Eater of Books

    ResponderExcluir
  5. Olha você provocando falando do final assim. Não me dou de curiosidade quando leio algo desse tipo
    Adorei a parte do não emprestar pra priminha ou pra vovó HAHAHA Recado anotado!

    Beijos xx
    http://sunriseshere.com

    ResponderExcluir
  6. nossa a resenha ficou otima!!!
    Mega curioso, sem falar que esse tema me atrai, acho tudo a ver com a realidade de alguns jovens de hj em dia!!!

    ResponderExcluir
  7. Nossa, o livro parece intenso demais.
    Acho que pra ler, além de tudo que você falou ser necessário, deve ser necessário também um bom equilíbrio emocional.
    Fiquei bem interessada, mas acho que no momento não leria.
    Adorei sua resenha!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Oi Hevy!

    Hmmmm já li resenhas avisando que é um assunto forte mesmo, mas a sua esta demais!

    Eu fiquei super curiosa! >_<

    Beeeijão!

    ResponderExcluir
  9. Oi Evellyn!
    Nossa, você me deixou muito curiosa quanto a esse livro!
    Comecei lendo a sua resenha pensando "não vou gostar" e terminei "quero ler esse livro!!".
    Vou procurar!
    Bjss!! Bom fim de semana! \o/

    ResponderExcluir
  10. Oi Eve!!
    Poxa, que bom que você gostou da leitura! Eu já achei a vida de Vicky muito fantasiosa, muito surreal.. talvez se ela fosse mais centrada o contexto estaria mais próximo de drogas, sexo e rock and roll, sabe? O amor deles é muito possessivo, muito irreal para uma estrela do rock.. Mas a história em si é legal, achei que a autora poderia ter trabalhado mais nisso..
    *-*

    Beijos!

    ResponderExcluir
  11. Oi flor,
    So pelo titulo já curti...Ahaha...Olha parece ser um pouco diferente de tudo que vemos por ai ne...e bem pesado mas enfim e rock'n roll ne???AHUhu..Adorei a parte que tu diz não emprestar para a avó ahahah..Adorei a dica não conhecia vou pesquisar mais sobre. Olha so hoje postei a resenha sobre Anna e o Beijo Frances como é chick lit e sei que tu adoraaa queria te avisar.srsr...
    Bjks
    Raquel Machado
    Leitura Kriativa

    ResponderExcluir
  12. Oie!
    Primeiramente, agradecer pela visita,e comentário, muito bem vindos!
    Hoje terminei meu romance mitológico, super mega romântico e tal...
    Logo estarei divulgando e pedindo uma forçinha para você, bjs

    ResponderExcluir
  13. Bom, acho que você já leu minha resenha e viu que eu também amei o livro, né? Acho que sentimos a mesma coisa por ele.
    Beijão

    ResponderExcluir
  14. O livro parece ser fantástico, ainda mais por ser escrito por uma autora nacional, o que me deixa ainda mais com desejo de ler! *--*
    À proposito, amei a resenha!

    beijos :*
    Cynthia

    ResponderExcluir
  15. Cara, sou louca por essas suas resenhas gigantescas.
    Nunca pare de escrever assim apesar do que as pessoas falam. Remar contra a maré as vezes é muito bom.
    Nâo canso de dizer que vc é perspicaz e tem opinião, então: "Boca no trambone!"

    Adorei. Imagino vc acordada... hilário isso!
    Brian é um danadinho hein.
    E morri de pena da Vick! Meninas podem se apaixonar por um rock star mas nunca namorar um, é impossível. Bom pelo menos pra mim, extremamente ciumenta!

    Mas enfim, adorei sua resenha. Arrassou!

    E ver vc falando de PDRR assim, me fez lembrar de "Anjos do Sagrado Coração", que foi um livro que me chocou demais. Aquelas garotas são... é melhor nem mencionar!

    XOXO, da Lisse

    ResponderExcluir
  16. Oi evellyn

    lembro de vc mostrando esse livro quando o recebeu na caixinha de correios, sinceramente antes de ler sua resenha só de ver o título já me lembrou que há menos de uma semana perdemos uma grande cantora ( Amy Winehouse) para esse mundo louco que envolve o título desse livro.
    Intenso...me pareceu a ler sua resenha..ainda não o conhecia...ai..tenho que parar de ter vontade de ler tds os livros que resenha !! hahaha
    Até pq com essa Bienal bombando a lista de livros só cresceu!
    Parabéns pela resenha é um tema pelo qual sempre me interessei...ate pq como citei acima tenho mts ídolos que são da área do showbiz alguns sairam vitoriosos por essa experiencia...outros nem tanto!

    Bjos
    Raffa Fustagno
    http://livrosminhaterapia.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  17. Só estou vendo críticas maravilhosas ao livro.
    Eu li e gostei, mas não amei de paixão... Achei as coisas um tanto surreais demais.
    Mas o final foi ótimo. Adorei, adorei \o/

    E, de fato: nada de primas novinhas e senhoras de idade perto dele hahaha

    Beijocas!
    Juh Oliveto
    Livros & Bolinhos ~

    ResponderExcluir
  18. Olá !
    Nossaa.... eu já estava mesmo querendo ler este livro, mas agora... eu necessito... kkk
    é sério, você me deixou morrendo de vontade de ler.... mas eu tenho 14 anos.... mesmo assim , quer dizer acredito eu, que tenho perfeita consciência para ler KKKKKKKK

    Beijooos, Patty
    Cartas para Ficção

    ResponderExcluir
  19. Olá!
    Queria lembrar dos 2 sorteios que estão acontecendo lá no blog!Já deu uma olhadinha??Passa lá!
    http://eutenhopressaemuitacoisameinteressa.blogspot.com/2011/07/1-sorteio-mococa.html
    http://eutenhopressaemuitacoisameinteressa.blogspot.com/2011/06/4-sorteio-do-blog.html
    Abraço

    ResponderExcluir
  20. Ops!

    Pulei a resenha! esse livro tá na listinha aqui e não vejo a hora de poder ler! Todo mundo falando super bem dele.

    Bjinhos
    Psiu!
    Silêncio Que Eu To Lendo

    ResponderExcluir
  21. Evee! Bah, não sei se tenho coragem de ler :S Apesar de não ter preconceito nem nenhuma noia com esse tipo de temática, ainda fico meio impressionada com algumas coisas, e pelo que tu disse as cenas são bem explícitas, dai não rola haha (pelo menos até eu ter 18 anos hahah) :P
    Adorei sua resenha, super sincera!
    Beijoca!

    www.estantechick.com

    ResponderExcluir
  22. Ei Eve!
    Já tinha lido outras resenhas sobre esse livro e continuo curiosa e com vontade de ler! Eu gosto de livros que são verdadeiros e diretos, sem rodeios sabe? Que parece ser bem o caso dele pelo o que você descreveu na resenha. :)
    Tomara que eu possa ler logo!

    Beijos
    Amanda
    Lendo&Comentando
    :)

    ResponderExcluir
  23. Nossa, fiquei com muita vontade deler depois da sua resenha. Apesar dessa coisa de envolvimento com um astro do rock ser uma coisa já meio batida, parece super legal. Eu gosto de livros com temas mais pesados, afinal nem tudo podem ser flores.
    Foi para a wishlist. Ótima resenha!
    bjus.

    ResponderExcluir
  24. Oie!
    Ah já li algumas resenhas sobre esse livro e cada uma com uma opinião diferente!
    Mas tenho bastante vontade de lê-lo pois o assunto me interessa, gosto dessa coisa meio 'gente rebelde' e o título é ótimo!

    bjs e uma semana iluminada pra vc
    Nana - Obsession Valley.

    ResponderExcluir
  25. Eu não sei se irei gostar desse livro, pois li algumas pessoas criticando bastante as frases trocadas pelo casal, alegando que soam muito forçada. Eu sinceramente não sou chegada em romances doentios. Bom, o único que me agradou nesse sentido, foi O Morro dos Ventos Uivantes, e apesar da tensão vivida pelo casal, a linguagem no livro era bem agradável.

    Também gosto de livros com temas psicologicamente pertubadores hehehe, como por exemplo Laranja Mecânica, Perfume: A História de um Assassino, Hannibal (Dragão Vermelho, Silêncio dos Inocentes), etc... mas se a linguagem for muito chula, já me desanima. Não sei se esse é o caso.

    Confesso que pela forma que você descreveu o final do livro, me deixou com uma ponta de curiosidade, e só sossego lendo mesmo :p

    Ótima resenha, e pelo menos para mim, você conseguiu passar as emoções que sentiu lendo Paixão, Drogas e Rock'n'Roll ;)

    Beijinhos

    Ler e Almejar

    ResponderExcluir
  26. Adorei a resenha, ficou muito boa.
    =D
    beijos
    boa semana.

    http://thislovebug.net/macchiato.

    ResponderExcluir
  27. Nunca tinha ouvido falar so livro
    Mas amei a resenha e é um livro que tenho vontade de ler, agora
    Pois o enredo me parece bastantre interessante
    E ate vou colocar na minha lista

    Beijos e Boa Semana
    @pocketlibro

    ResponderExcluir
  28. É a segunda resenha que leio desse livro, e desde a primeira morro de curiosidade! Estou acostumada a ler coisas mais fortes, e acho que não vai ser isso que vai me afetar. Tá no topo da lista!

    Ótima resenha!
    Beijos

    (atravesdaspaginas.blogspot.com)

    ResponderExcluir
  29. Eve, acho que a sua opinião sobre o livro, de acordo com o que li na resenha, é a que mais se aproxima da minha. Desde que li, não encontrei muitas resenhas que retratavam o tamanho da emoção e a confusão de sentimentos de quando fiz essa leitura. Vi muita gente julgar o enredo, muita gente mesmo...

    O livro mexeu tanto comigo que só em ler sua resenha meus olhos encheram de lágrimas. PDRR me marcou d+, tamanha sensibilidade que a Daniela usou. Perfeito!

    Bjs,
    Kel
    www.itcultura.com

    ResponderExcluir

- Adoro saber a opinião dos leitores! Deixe seu comentário e eu responderei no seu blog, mas nada de comentários ofensivos hein?