Eu Li: Luminoso (Shimmer - Riley Bloom #2)

Em Luminoso, continuamos acompanhando Riley e suas novas aventuras no além! Depois da missão bem sucedida em Radiante, ela está curtindo férias em St. John, nas Ilhas Virgens, com seu guia e mentor Bodhi e seu fiel labrador Buttercup. O começo do livro é bem legal porque Riley aproveita e faz um breve resumo do que aconteceu a ela e o que ela fez anteriormente, pondo o leitor a par, mas sem ser repetitiva para aqueles que já acompanham a série. Ela continua engraçada, sarcástica e teimosa - disposta a fazer tudo o que lhe dar na telha!

Uma coisa interessante é que o livro já começa com ação! Logo no fim do primeiro capitulo já temos uma cena emocionante e tudo começa a se desenrolar muito rapidamente! Gosto muito do ritmo. Contrariando os conselhos/avisos de Bodhi, Riley faz exatamente o contrário e vai atrás de uma criatura que 'cruza' o caminho dela na praia. E é claro que isso logo a mete numa enrascada - e com ela, Buttercup e Bodhi, que não pode deixar a pupila sozinha.
Quer dizer... uma coisa é falar, outra bastante diferente é fazer.
E no que diz respeito ao ato de me concentrar, bem, digamos apenas que éramos como dois primos distantes que raramente se encontravam.
Presa num mundo de tristeza e sofrimento, criado por uma adolescente do_mal, que é atormentada por conta da morte que teve, Riley tem se apressar para conseguir tirar não só ela daquele lugar horrível, mas também seus amigos e todos os outros espíritos que se encontram padecendo na versão do purgatório dessa história. Eu curti muito essa questão porque a história do livro é realmente bem desenvolvida e ao final, existe uma nota da autora avisando que apesar do livro ser ficcional, ela se inspirou em algumas coisas reais!
A parte mais racional sabia que eu precisava de ajuda.
Precisava de ajuda, tipo, imediatamente, pra dizer o mínimo.
Eu estava em uma bela confusão - uma situação tão alem do meu alcance que eu não tinha escolha a não ser procurar uma solução além de minha capacidade, que admito, era insuficiente.
Eu gosto muito da autenticidade da Riley. Ela tem uma personalidade muito boa, e embora nem sempre eu concorde com as ações dela (na maioria das vezes, a acho impulsiva demais, e por isso ela só se mete em roubada!), acho legal que ela preserva aquela característica que as crianças pequenas tem, de ser muito franca, ao ponto de chegar a ser inconveniente por ser tão sincera! E como ela está num lugar onde todos podem 'ouvir' os pensamentos dela, isso se torna uma coisa engraçada, porque as pessoas acabam sabendo coisas que não deveriam...
- Então, este deve ser seu... palácio?
Torci o nariz e examinei o lugar. Observei o teto de palha, as quatro hastes de bambu seco que o sustentavam, a grama trançada que servia como tapete e as duas almofadas coloridas colocadas no meio - um ambiente tão simples e humilde que, devo admitir, fez despencar minha confianças nele, a qual já era frágil.
Eu gosto dessa série porque ela tem essa temática pós-morte que eu me interesso muito, e gosto muito da visão da autora sobre o assunto. Sobre como o que fazemos aqui, tem suas consequências no futuro; sobre semear o bem para colher o bem; sobre saber perdoar, e superar, e crescer, e evoluir. A Riley sempre está em missões que acabam servindo de ensinamento sobre as ações que ela ou os outros comentem e como isso afeta tudo em volta

Se você ainda não leu nada da Alyson Nöel, essa série da Riley é uma boa pedida - é leve, divertida, e ainda traz algumas reflexões interessantes sobre a vida (what goes around... comes around). E se você já leu a outra série da Alyson e abandonou, dê uma chance a Riley! Ela não é tão cabeça-dura nem vive cometendo os mesmos erros - como a irmã. O livro termina num ponto tão continuativo que só não fiquei morrendo de curiosidade porque existe um trechinho do próximo para apreciação!

Mais uma vez, a editora Intrínseca está de parabéns pelo trabalho com livro! A capa é linda, a diagramação combina com a história e tudo está muito bem revisado! Além disso, gosto muito da tradução da série! Acho que tudo é bem dosado, pra parecer mesmo narrado por uma garota de 12 anos que se martiriza por nunca poder completar os desejados 13 anos (a idade da adolescência!).



8 comentários:

  1. Não duvido que tenha ficado lindo,a Intrínseca capricha. Amei o primeiro livro, vamos ver este *-* A personalidade da Riley é apaixonante, eu simplesmente adoro. O tema também me interessa muito, por isto adorei desde o primeiro livro, *o*. Beijos, Ev,

    Rachel Lima - Corujando

    ResponderExcluir
  2. Oi Eve!
    Bom, eu nunca li nada da autora, mas não tenho muita vontade de ler essa série!
    Acho as capas lindas, também gosto do tema além da vida, mas não sei, não tenho vontade de ler!
    De qualquer forma, você parece ter gostado bastante desse ^^
    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Então, eu tinha um pé atrás com a Dona Allyson por cuasa de ''Os Imortais''... Aí eu li ''Radiante'', e amei. Achei a história muito mais plausível, e também vi que boa parte da culpa de ''Os Imortais'' ser tão odiado é justamente por causa da Ever! Rsrsrs

    Enfim, eu tenho que ler ''Luminoso'!

    Henri B. Neto
    ''Na Minha Estante''

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Parabéns adorei a resenha,estava pensando se lia o livro ou não mas ,como você disse que a mocinha é sarcástica eu vou ler odeio mocinhas Bobas e boazinhas.

    ResponderExcluir
  6. Evellyn... Tem como ler essa série sem ter lido Os Imortais?

    ResponderExcluir
  7. Eu gosto muito da escrita da Alyson, e a outra série dela "Os Imortais" eu adoro. Então eu estou querendo muito ler essa outra série dela.
    Parece ser bem legal.

    Beijos,
    Mandi - Book and Cupcake

    ResponderExcluir
  8. É difícil pacas fazer a galera relaxar pra ler Riley depois de ter lido Ever npe?

    ResponderExcluir

- Adoro saber a opinião dos leitores! Deixe seu comentário e eu responderei no seu blog, mas nada de comentários ofensivos hein?