Eu Li: A Garota Americana (All American Girl)

Meg Cabot não consegue decepcionar, isso é o que percebi enquanto lia A Garota Americana. O livro é muito leve e divertido e a protagonista e narradora é a base dessa pirâmide de sucesso. A garota em questão, é Samantha Madison. Ela é uma artista sensível e como tal, tem formas bem peculiares de se expressar. Acontece que, sendo a filha do meio de uma advogada ambientalista e um diplomata, ela se sente 'a_excluida' da família. Também, o que pensar se a sua irmã mais velha é linda, líder de torcida, super popular e namora o garoto dos seus sonhos e sua irmã mais nova é tipo uma super-gênia que estuda numa escola para superdotados? 

Então a Sam não resta muita coisa a não ser encontrar uma forma de se destacar – nem que pra isso precise tingir todas as suas roupas de preto e passar a desenhar para os amigos da escola ao invés de estudar para melhorar suas notas em Alemão. Acontece que quando os pais descobrem que ela anda fazendo isso, decidem que ela precisa direcionar seus talentos, ao invés de usá-lo de forma desenfreada e a colocam numa aula de desenho com uma professora super renomada, mas que parece não entender o potencial criativo de Samantha. 
E é por isso que, no começo do ano letivo, eu tingi todo o meu guarda-roupa de preto para mostrar que:
A) Eu estava de luto pela minha geração, que claramente não liga para nada além do que vai acontecer em Friends na semana que vem, e...
Certo, me senti pessoalmente ofendida!
Sam é muito engraçada, daquele tipo bem drama-queen, que acha que a vida dela não poderia estar pior (mas devo entender o lado dela). Mas a vida dela vira de cabeça para baixo quando ela acidentalmente salva o presidente dos Estados Unidos de uma tentativa de assassinato. Então, após esse ato de extrema coragem, Sam se vê como a grande heroína nacional e adorada por pessoas que não davam a mínima para ela. Além de tudo, ela ainda vira embaixadora teen da ONU nos EUA – embora isso não signifique muita coisa... 
5. Apesar de a sede da ONU ser em Nova York, ninguém deu a menor indicação de que vão me mandar para lá. Tipo assim, para Nova York. Aparentemente, ir até a sede da ONU na verdade não faz parte da lista das dez prioridades da embaixadora teen na ONU.
Com a nova popularidade, os novos amigos, compromissos e os repórteres que não param de segui-la, ela precisa aprender a lidar com isso tudo sem enlouquecer. E é claro que entra em cena o primeiro-filho, que apesar de não ser o namorado da irmã, anda fazendo com que ela sinta o coração disparar. É interessante o fato de Sam negar para si mesma o que anda acontecendo porque (ainda mais na adolescência) as vezes temos essa ideia de que um amor será o_único amor da nossa vida e ninguém será capaz de substituí-lo e não é bem assim.... 
E por mais que o David seja fofo e tudo o mais, eu sou totalmente 100% dedicada ao Jack Ryder que, tudo bem, não parece corresponder exatamente ao meu amor, mas isso vai acontecer. Um dia desses o Jack vai cair  na real e, quando isso rolar, estarei esperando.
Uau! Eu tinha exatamente esse tipo de pensamento... rs
Eu gostei muito dos personagens, todos são bem caracterizados (como sempre) e você consegue reconhecê-los pelo diálogo mesmo que não estivesse escrito. Digo, eles são bem distintos e acho que Meg sempre sabe criar personagens com personalidades diferentes. Sobre a Sam, eu gostei dela, apesar de não concordar muito com as atitudes que ela tem. Em alguns momentos a achei muito rebelde-sem-causa! O fato de ela não ter o que quer e como quer, faz com que ela tenha algumas atitudes que eu achei desnecessárias, mas acho que combina com a personalidade definida dela, então dá certo!

A narrativa do livro é muito boa e a leitura flui numa facilidade que nem vemos a hora passar. É bem legal acompanhar Sam em suas diversas atividades e situações; acontece cada coisa com a garota que não é de se espantar que ela seja tão dramática! Sam também é adepta das listas, então estamos sempre conferindo os top 10 dela e eles são muito divertidos. Também amei ver diversas referências a tudo que é coisa da cultura pop (Meg sempre faz isso e acho que isso nos aproxima muito da história).
Quando estávamos no final do ensino fundamental, a Catherine e eu passamos por uma fase em que só liámos livros de fantasy. Nós os devorávamos como se fossem M&Ms, aos montes. J.R.R. Tolkien, Terry Brokks, James Kahn e Lloyd Alexander. Para mim, a Susan Boone parecia a rainha dos elfos (quase sempre tem uma rainha dos elfos nos livros de fantasy).
Tipo assim, apesar de eu estar, tipo assim, três andares acima, parece que eles não deixaram passar.
Agora, uma coisa me incomodou DEMAIS na tradução. É uma tradução muito boa, com uma linguagem bem adolescente, mas a questão é que o livro é muito lotado de tipo assim. Eu não tive a oportunidade de ler o original (nem consegui baixar um modelo), então não sei se é repetitivo em inglês. Acho que isso se deve ao fato do livro ser de 2004 e naquela época, lembro que estava muito em voga o tipo assim entre os adolescentes (eu usava, tipo assim, demais). Mas achei que no livro se tornou incomodo porque tem algumas frases de dois verbos com 3 'tipo assim'... Achei que ficou cansativo! Por outro lado, não acredito que a tradutora repetiria uma mesma palavra se a uma palavra equivalente não fosse usada ao extremo na forma original. Então, essa é minha única ressalva. Ainda vou pegar um original pra conferir, porque achei isso bem marcante. Alguém já leu em inglês para me dizer?

Fora isso o livro é lindo, divertido, bem adaptado e acho que é uma leitura ótima para as férias! Você lê rapidinho e com certeza vai se divertir com os pensamentos e tiradas da Sam. Mas por favor, não leia pensando que será um livro que vai mudar sua vida porque certamente esse não é o propósito. Ele é para entretenimento e nisso ele se garante!

PS: não posso deixar de achar essa questão do Tipo Assim fazer o livro ficar parecido com 'O Diário de Tati' da Heloísa Périssé, que foi a personagem que fez o tipo assim se espalhar pelo Brasil feito praga! 

18 comentários:

  1. Estou louca pra ler esse livro e depois Quase pronta. Adoro a escrita da Meg e esse livro parece ser tão bom.. preciso comprar logo *-*

    Beijos,
    Thais P.
    http://thaypriscilla.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Oi Evellyn!!
    É realmente difícil se decepcionar com os livros da Meg!
    Ainda não tive a oportunidade de ler esse, mas parece ser muito bom, garota que salva o presidente dos Estados Unidos, parece ser garantia de boas risadas!
    A resenha tá muito bem escrita, parabéns!
    Beijos!

    Elidiane - Leitura entre amigas
    leituraentreamigas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. li meg = já quero ler, só tiro da minha lista 'insatiable' que achei bem do ruinzinho, mas o resto eu adoro.

    J.
    -The Eater of Books

    ResponderExcluir
  5. Ahhhh, eu gosto tanto da Sam!
    Amo as listas que ela faz, o livro é realmente muito divertido.
    Meg sabe o que faz, né?

    Beijos,
    Vivi

    ResponderExcluir
  6. A Meg é a rainha dos livros pra distrair. Adoro muitos dos livros dela. Eu tenho muita vontade de ler este, parece muito divertido.

    Beijos

    Amigas entre Livros

    ResponderExcluir
  7. Oi Eve!
    Eu adoro esse livro!
    Ele é mesmo uma delícia de ler e com personagens bem caracterizados!
    A Sam é totalmente rebelde sem causa e dramaqueen!
    O "tipo assim" também me incomodou e eu li em inglês, também, e não tem tanto não... Ela até usa "like" e outras gírias, mas nada muito excessivo. Acho que, por ela usar uma linguagem coloquial em inglês, o tradutor quis deixar isso transparecer usando o "tipo assim".
    Mas eu não me lembro de ter muitos em inglês não...
    Enfim, eu adorei o livro e me decepcionei um pouco com a continuação, achei que ficou meio "encheção de linguiça", sabe?
    Mas é divertido também, só não é tão bom quanto esse!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Livros da Meg são sempre bem-vindos, não é? Eu nunca li a Garota Americana porque acreditava que fosse algo com uma patricinha e blábláblá. Mas essa é uma história de uma rebelde sem causa e isso me agrada MUITO. Eu meio que sou uma rebelde sem causa... é o que me dizem SOHAOSHOAHSAHSOHS Mas não sou tããão revoltada a ponto de me vestir toda de preto só por achar que a sociedade merece meu luto - achei isso sensacional, risos. Mas não vou aderir, ok? Mais uma vez, adorei a resenha,

    Beeeeijo
    Kaká

    ResponderExcluir
  9. Oie! Adorei a resenha, adooro esse livro. Só não gosto de Quase Pronta, a continuação. Sério, achei muito decepcionante, mas né =(

    Tá de parabéns pelo blog!! Lindo =)

    Bjs
    Natália Bianchin

    http://www.meninadelivro.com.br/

    ResponderExcluir
  10. A Sam gosta de listas!! Já gostei dela e isso conta muitos pontos a seu favor rsrs

    Que pena que se sentiu ofendida. Eu não, pq não curto Friends. Foi o que senti quando falou da Jane em "O Verão...", foi chato, fiquei com o coração apertadinho. Mas não acho que devia se sentir ofendida pq o próximo capítulo de Friends não deve ser sua única preocupação na vida né Eve?? rsrs

    Sério que vc pensava sobre o amor assim como a Sam? Pq eu não sou muito de esperar não... sou impulsiva e muitoooo apressadinha; sou do tipo que faz acontecer #maléfica

    Talvez eu venha a gostar muito da Meg, ainda não li nada dela, apesar de quase ter uns 10 livros dela em casa... mas nunca me animo muito! Vou ler "Liberte Meu Coração" que é minha próxima leitura, mas quando olho para "Ela Foi Até O Fim" sinto uma coisa assim meio vazia, mas quem sabe...

    Bjks, amiga

    Da Lisse

    ResponderExcluir
  11. Hey Evelyn!
    Eu já li um livro da Meg Cabot e gostei bastante. Também leio a coluna dela na revista Capricho, bem legal.
    Os textos e livros dela incríveis, o que eu acho mais massa é que essa autora nos envolve à história que parece tão simples, acaba que a gente não quer mais deixar o livro de lado até a conclusão dele! :D rs

    Eu amo esses livros de histórias de colegiais e faculdade, e esse já vai pra minha wish list! :D
    Beijos!

    http://www.galeriadasideias.com/

    ResponderExcluir
  12. Ah, Meg! ♥
    Nem preciso falar que ela é minha diva. \o/
    Eu gosto muito desse livro e também da continuação dele, talvez um dia eu até faça um post com a resenha, mas de qualquer forma ela está na minha agenda da Barbie [eu ganhei].
    Um detalhe dele que eu me identifico são as listas: eu faço para tudo. É uma excelente maneira de relaxar um pouco tirando todo os pensamentos da cabeça. Funciona praticamente como uma penseira do Harry Potter, a diferença é que você não vê imagens. Eu sei que você não leu Harry e muito menos é fã, mas no filme que vimos no cinema tinha uma. HAHA

    ResponderExcluir
  13. A Meg sempre me surpreende. Sou fã dela desde que li a série A Mediadora.
    Tô louca para ler O Garoto da Casa ao lado.
    A Garota Americana me pareceu muito bom, me identifiquei com a Sam no momento em que ela pinta as roupas de preto (eu já fiz isso). kkk'

    Kisses Kisses

    Nathy
    @BlogBlueberry_

    http://blueberrys.org/

    ResponderExcluir
  14. Então, chegou a Ovelha Negra...

    Eu gosto MUITO dos livros da Meg. Muito MESMO. Sou fã. Mas eu me decepcionei com a série ''A Garota Americana''. Achei a Sam irritante e a trama um pouco repetitiva - me lembrando várias vezes de ''O Diário da Princesa'' (como na questão das listas. E da protagonista que irrita).

    É um livro legal de se ler, mas eu esperava mais. Sei lá, para mim foi tudo muito ''mais do mesmo'', e eu nunca sinto isto quando leio Meg. Achei que, com o plano de fundo que ela criou, ela poderia ter tomado vários rumos mais ousados. Mas eu acabeu sentindo que foi apenas uma versão ''Na política'' da série da Mia.

    O que é uma pena. Por que eu amo a Meg sempre espero o melhor! ''(

    Henri B. Neto
    ''Na Minha Estabte''

    ResponderExcluir
  15. Essa é uma das séries da Meg que ainda não li, não sei porque sempre coloquei outros livros da Meg na frente desse. Mas acho que nessas férias na melhor que ler algo leve e divertido sem muita pressão. Obrigada pela resenha, beeijos!

    ResponderExcluir
  16. Opa...será algo SA?

    Mas me empolguei com o livro. Ganhei o pocket e agora é correr pra ler!
    =)

    Bjinhos
    Psiu!
    Silêncio Que Eu To Lendo

    ResponderExcluir
  17. sua resenha é perfeita! Amei o odo como de u sua opinião totalmente envolvida com o livro... sei que está falando de Meg Cabot, mas de qualquer forma, é um modo todo seu de compartilhara a leitura ^.^
    Só de ler os trechos que colocou, já me incomodei com o "tipo assim"... nada contra, mas eu não falava assim... meio que me irritava rsrsr de qualquer forma, também acredito que isso não atrapalhe tanto, afinal a história parece ser bem movimentada, super divertida e leve, de fato super teen ^^

    :*
    http://aoleitor.blogspot.com/
    @Leitora1

    ResponderExcluir
  18. Eu sinceramente me interessei por esse livro, achei a história muito legal, e divertida, o tipo de livro tipico de entretenimento, mas com uma personagem principal muito mais engraçada *-* fiquei louca pra ler!
    Eu to seguindo, passa la no blog? Se quiser seguir e comentar pode tá? HADUSHADUSHADUS

    ResponderExcluir

- Adoro saber a opinião dos leitores! Deixe seu comentário e eu responderei no seu blog, mas nada de comentários ofensivos hein?