Eu Li: A Culpa é das Estrelas (The Fault in Our Stars)

Se eu fosse usar uma palavra pra definir esse livro do John Green eu diria 'esperto' – e quero deixar clara a diferença entre 'inteligente' e 'esperto'. Sabe, a principio, tive aquela sensação que seria um livro muito pretensioso (até mesmo por conta de toda a bajulação ao autor), e de certa forma é assim, mas de uma forma boa e agradável. É  grandioso em sua simplicidade e simples em sua grandeza (oh, estou me sentindo muito filosófica). Sim, um tanto paradoxal, mas foi o que senti. Bem, a expectativa, devido ao burburinho, era enorme e não me decepcionei.

John criou uma protagonista com um tipo de câncer que invariavelmente irá matá-la (sorry, não é spoiler – é CÂNCER), mas que é muito perspicaz. Eu diria que Hazel Grace tem aquele típico humor negro – aliás, bem típico de pessoas com doenças graves que não se deixam abater ou vestem uma armadura que impede que as vejamos como seres fracos. Como um mecanismo de defesa mesmo ~ hm, fala a que acha que se formou em psicologia. 

Hazel tem toda uma maneira sarcástica de encarar a vida e a doença - realmente adorei a garota! Por insistência da mãe, frequenta um grupo de apoio para jovens com câncer e é num dos encontros que ela conhece Augustus Waters – ou Gus. Os dois sentem uma afinidade praticamente instantânea e num desses acasos loucos da vida, se apaixonam. Gus é muito gente boa e o melhor sobre ele é que ele tem um tipo de confiança única e inabalável que o torna muito atraente. Quero dizer, não faz dele uma pessoa metida e convencida, mas sim, confiante, alto-astral e agradável. 
– O consolo superficial não é um consolo verdadeiro - falei – Você já foi uma flor rara e frágil. Você se lembra disso.
Ele ficou em silencio por um instante.
– Você sabe como calar a minha boca, Hazel Grace.
– É meu privilegio e minha responsabilidade. - retruquei.
– As pessoas sempre acabam ficando insensíveis a beleza.
– Eu ainda não fiquei insensível a você. - ele retrucou, sorrindo. Fiquei vermelha.
Além do câncer e do romance, um dos pontos principais do enredo é que Hazel é uma leitora voraz e é super fã de um escritor que sumiu do mapa e é apos conhecer Gus e apresentar a ele o livro da vida dela que Haz tem a oportunidade de realizar um de seus maiores sonhos. Devo também comentar que esse escritor é um dos personagens mais insensíveis que já li e eu deveria ficar com raiva dele mas gostei muito da criatura! Não pelo 'motivo' dele, mas porque gosto de personagens diferentes e exóticos. Gostei principalmente porque ele é autentico e não tem medo de dizer o que vem a cabeça, mesmo que seja algo desagradável e tenho que admirar tal honestidade. 
– ... Aquele livro foi composto por rabiscos numa página, minha cara. Os personagens que nele habitam não possuem vida fora desses rabiscos. O que aconteceu com eles? Todos deixaram de existir no momento em que o livro acabou.

Isso não é verdade porque alguns personagens vivem para sempre em minha memória...
A história toda é cheia de referências a todo tipo de informação. E acho que John tem algo com matemática porque ela ta muito relacionada a um ponto importante do enredo. Achei todo o enredo e o modo como as coisas são narradas extremamente cativante, ainda mais por ter uma protagonista que esta doente, mas não faz o estilo 'coitadinha de mim'. 
– ... Mas dá para eu conter a minha beleza mortal?
– Não, não dá.
– É minha sina esse rosto lindo.
– Isso sem falar no seu corpo.
– Na moral, não vou nem começar a falar do meu corpo sexy. [...] Na verdade, me ver pelado foi o que fez a Hazel Grace perder o ar. - ele falou, fazendo um gesto com a cabeça na direção do cilindro de oxigênio.
Eu recomendo a leitura para todo mundo. É introspectivo e bonito. O tipo de livro que é jovem, atual e que tem uma mensagem. Eu não cheguei a chorar enquanto lia, mas dei muitas risadas e pensei muito sobre a forma que levamos a vida. Realmente o sucesso de John Green não é aleatório pois ele sabe envolver o leitor numa historia cativante, emocionante e também engraçada. Não foi o meu livro do ano, mas com certeza é um dos muito bons! Então, não perca tempo e leia assim que puder. Ok?

Agora, um detalhe (bem, alguns podem achar detalhe, mas acho extremamente importante, até porque se repete o livro TODO) me incomodou demais durante a leitura sobre a tradução: o uso de artigo definido antes dos nomes próprios. Não sei se existe de fato uma regra quanto a isso em português como existe em inglês, mas acho ESTRANHO ficar usando artigo definido antes de nomes de pessoas. Nós sabemos que é determinada pessoa, não precisa definir nada antes... Acho que isso chega a ser pleonasmo! Ninguém diz 'Eu e a Maria fomos ao mercado', dizemos simplesmente 'Eu e Maria fomos ao mercado' então, porque RAIOS a tradutora fez isso? Não vi ninguém reclamar disso e talvez eu esteja sendo chata, mas isso realmente me incomoda porque me faz dar trancos na leitura. E o pior é que a TODA HORA que ela se refere a alguém ta lá o maldito o/a antes do nome! Não tem necessidade... Pra que? No inicio fiquei extremamente irritada, mas não é algo que interfira e no final a gente acaba acostumando. Só quis marcar aqui pra saber se mais alguém pensa isso sobre esse estilo de escrita.

DFTBA!

49 comentários:

  1. Como já deixei claro, várias e várias vezes, eu não pretendo ler nenhum livro do John Green, mesmo que ele seja o ''queridinho'' A Culpa é das Estrelas. Sorry, eu realmente não consigo me desligar um livro do seu autor, até por que aquilo ali é parte da essência dele... Enfim, mas este sou eu (ou #AsíSoyYo, se preferir - parafraseando uma música que prefiro nem comentar de quem é... Rsrsrs).

    Agora, comentando sobre um ponto da resenha, uma coisa que me incomodou um pouco foi a frase ''John criou uma protagonista com um câncer que invariavelmente irá matá-la (sorry, não é spoiler – é CÂNCER) (...)''... Eu sei que isto não é spoiler pq está na sinopse, mas o câncer dela é mortal pois ela está em um estado terminal - não por ser câncer. A doença, quando diagnosticada à tempo, tem cura sim!

    Não é trollação com a resenha nem nada - longe de mim, é sério - mas me incomoda esta visão sobre a doença. É um assunto delicado, principalmente por quem já passou de perto por uma experiência dessas, e esta visão deturpada de quem tem câncer não pode ser curado me machuca de verdade, pois não é isto. É uma doença muito grave, todos sabemos, mas sempre tem uma esperança de vitória. Enfim...

    Henri B. Neto
    ''Na Minha Estante''

    ResponderExcluir
  2. @Henri B Neto

    Entendi seu ponto Henri. É que no livro o câncer dela vai matá-la mesmo porque não tem cura... Mas eu fiz uma mudancinha lá pra deixar isso menos 'bruto'. É uma visão bem mais cruel da doença que eu tenho, sim, até porque só tive experiencias de família com casos assim, mas sei que existe cura também, e espero que um dia exista para todos.

    Mas eu ainda acho que você deveria deixar de ser CABEÇA DURA e dar uma chance ao John cara. Abstraia aquele grupo dele, leia sem pensar que é do John! De todo modo, espere outros lançamentos dele, uns menos 'bombados' e ai quem sabe vc não tem vontade de ler..

    bjss

    ResponderExcluir
  3. Boa resenha, Eve. Sem muito sentimentalismo, bem objetiva, etc. Fico feliz por você ter gostado :) E ter gostado dos personagens - porque acho que eles são a melhor coisa nos livros do John Green (tanto que, olha só, A Culpa das Estrelas não é muito inventivo, né? Mas é um livro muito bom, por causa dos personagens e por causa da escrita mesmo).

    E sobre a questão do artigo definido antes do nome: todo mundo aqui no Rio Grande do Sul usa artigo definido antes de nome próprio, sempre. Então, sim, existem muitas pessoas que falam assim. Talvez a tradutora seja daqui? Eu em geral não escrevo (quando estou tentando escrever ficção hahaha) "A Fulana fez isso" e sim "Fulana fez isso", mas sempre falo do primeiro jeito. Enfim, só pra você saber que tem muita ente que faz esse uso.

    BeijO!

    ResponderExcluir
  4. Oi Eve!
    Adorei sua resenha, principalmente o começo dela! Esse seu paradoxo foi ótimo ^^
    E eu uso o artigo definido pra falar, achei até estranho quando parei pra pensar como falo e tirei o artigo antes do nome pra fazer o teste hehe
    Beijão!

    ResponderExcluir
  5. A capa desse livro é tão simples(?) e me chama tanto atenção, não sabia da história e me deixou bem interessada. E nossa, essas coisas mínimas também me irrita um tanto, tradução sempre terá suas falhas, mas ah, poderiam colaborar com os leitores também né... hahaha

    ResponderExcluir
  6. ah!! Eu tenho certeza que vou chorar MUITO lendo esse livro.
    Bjs

    http://eternamente-princesa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. John deve escrever tão bem, porque o pessoal fala tanto dele... Quero muito ler algo desse autor.

    Beijos,
    Mandi - Book and Cupcake.

    ResponderExcluir
  8. Gente, to precisando demais ler esse livro..
    Sério..
    Tudo mundo ta falando tão bem dele, tenho ate medo de me decepcionar..
    Parabéns, o blog ta lindo =)
    http://2bookgirls.blogspot.com.br/
    Beijos ;*

    ResponderExcluir
  9. Eu estou lendo... estou pouco depois das 100 páginas... tem umas frases de impacto.

    ResponderExcluir
  10. Preciso urgentemente ler esse livro, a editora tá fazendo tanta propaganda e as pessoas estão falando tanto que se você não ler é quase alienigena AHSUAHUSAHUSA Obrigada pela resenha, beeijos!

    ResponderExcluir
  11. estou louca para ler este liivro *-*
    as pessoas estão falando tão bem deste livro que eu PRECISO ler ele!

    ResponderExcluir
  12. Já ouvi falar muito do John Green, mas nada relacionado a algum livro que ele tinha feito. Confesso que quando vi a capa de A culpa é das estrelas, pensei que era mais um livro infantil, nem cheguei a ler a sinopse. Mas dai começaram a falar deste livro nas redes sociais e nos blog literarios. O livro apresenta uma historia de superação incrivel a personagem parece que ja se conformou que tem a doença, e sabe que um dia ira falecer. Bem ainda nao li o livro mas ele me parece ser muito emocionante,esse é o tipo de livro que faz voce repensar o que voce esta fazendo da sua vida. O autor realmente me parece saber prender o leitor na leitura e fazer com que ele sinta as mesmas emoçoes dos personagens, isso é uma coisa que eu amo em autores literarios.alem do fato dos personagens terem personalidades foretes. Não vejo a hora de poder ler esse livro e saber realmente o que voces estão falando.

    ResponderExcluir
  13. Oi. Acho que terei a mesma opinião que a sua, caso eu leia o livro, não costumo ler e chorar nesse tipo de livro, sou mais pra emocionar e rir mesmo. Essa coisa que o autor consegue nos fazer sentir é demais! É assim que ele conquista seus leitores mundo afora, tanto com a forma que ele narra quanto pela forma como trata seus personagens. Demais sua resenha. Sobre o estilo de escrita não reconheço não, agora fiquei curioso. Beijo.

    ResponderExcluir
  14. Eu nem ligo muti para esses detalhes de escrita. Reparo mais nos personagens, no jeito em que o autor(a) desenvolveu a história e tal. Acho que não iria me importar muito! Sem contar que esse é um dos meus livros desejados, então... Nem ligo!

    ResponderExcluir
  15. O livro aborda um tema complexo e com personagens complexos... Poderia ser mais uma história de drama, de "Ela vai morrer..." Não faço ideia se ela morre ou não, mas pelas resenhas que tenho lido e pelo primeiro capítulo, os comentários é de que há um humor e um toque especial no livro, o qual deixa com um toque de realidade e foge daquele peso que o tema traz. Estou muito curiosa para ler...

    ResponderExcluir
  16. Queria muito ler esse livro. Achei ele muito bom, pra chorar até se esguelhar e não poder mais. Ai, adoro livro assim!

    ResponderExcluir
  17. Espero que esse livro seja bom mesmo, apesar de se tratar de um tema tão triste e que as vezes não gosto nem de pensar. Mas vou tentar abstrair um pouco o sentimentalismo e dar uma chance a ele.

    ResponderExcluir
  18. Oinn, que trechos lindos vc escolher. Só pra deixar a gente doida pra ler né?! Todo mundo falando tão bem... estou até com medo de ler..haha

    ResponderExcluir
  19. Eu ando louca para ler esse livro que tem tido comentários tão positivos. Realmente, quando descoberto no início a maior parte dos casos de cancer têm cura, mas nem sempre é o caso, existem sim tipos de cancer muito agressivos que não dão grandes esperanças a quem sofre com eles.

    ResponderExcluir
  20. ACDE é realmente muito bom, né? Eu amei Gus, ele é um personagem incrível, pra mim, mais protagonista até do que a própria Hazel. Gostei muito do humor que John Green conseguiu colocar no livro, mesmo a história sendo sobre uma situação tão delicada. E, sim, eu também me incomodei com os artigos, mas não tanto, só ignorei os artigos na minha leitura hahah

    http://trouxesteachave.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  21. Muito já ouvi falar desse livro e como não sou nem um pouco maria-vai-com-as-outras, fiquei na curiosidade para ler o bendito cujo.
    Não sou muito fã de leitura onde há pacientes terminais, porque drama não é meu forte e eu preciso estar bem no clima para ler. (A única exceção é Nicholas Sparks) Mas ACEDE leva a doença de maneira leve e engraçada, pelo menos é o que todos dizem e eu prefiro acreditar.
    Ainda comprarei o livro, n sei quando, mas está na minha wishlist com certeza.

    Beijos,
    emsintoniacomoslivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  22. Olá Eve,
    Bem, eu tenho muita vontade de ler esse livro.
    1. Porque me apaixonei a primeira vista assim que vi a capa.
    2. Porque me apaixonei a primeira vista quando li a sinopse.
    3. Porque me apaixono sempre mais quando leio resenhas dele (tais como a sua)
    E a paixão e o desejo (pq quando me apaixono eu preciso ter o objeto de minha paixão se não fico a explodir de desejo) só crescem.
    Gostei da sua resenha, todas as que li até agora sempre falam muito bem. No entanto, a sua teve um diferencial das outras que já li: falou nessas persistência do uso do artigo e isso me deixou reflexiva: claro que é irritante, mas acredito que não venha a atraplhar o enredo. Pode se tornar um empensilho na leitura, mas não acredito que deforme a história.

    bjs,
    Camila Márcia
    @camila_marcia
    De Livro em Livro
    Devaneios Fugazes

    ResponderExcluir
  23. Concordo com você Evellyn, também não gosto e acho esquisito quando isso acontece em uma tradução, mas mesmo assim não me emporto tanto com isso se o livro for realmente bom, espero ter a oportunidade de lê-lo

    ResponderExcluir
  24. Tem gente que usa 'o' e 'a' antes dos nomes próprios, meu namorado, exemplo, é estranho, mas não chega a perturbar.
    Quando A culpa é das estrelas foi lançado, realmente foi um grande alvoroço, só se via esse livro no Twitter e junto com ele, o nome do autor, nessa época eu não dei muita atenção ao livro, e passou bastante tempo para que eu parasse e fosse procurar-lo e ler a sinopse, aí então eu gostei bastante dele.
    O tema câncer é bastante previsível para o final do livro, e eu já imaginava que Hazel fosse morrer. [quando eu li Hazel pela primeira vez, achei que era um menino :x]
    Já percebi que quando eu for ler esse livro, eu vou chorar muito.
    Beijoos :* - GabiSuzart

    ResponderExcluir
  25. Estou completamente louca por esse livro, o titulo dele me chamou bastante atenção na primeira vez que eu vi e foi só ler a sinopse pra me apaixonar por ele. Espero consegui-lo o mais rápido possível e sinto que vou chorar litros nele ): Parabéns pela resenha.

    ResponderExcluir
  26. Gosto de tramas envolventes e esse livro parece que consegue "segurar" o leitor até o fim da trama.
    Teve muito burburinho em torno dele e por isso pretendo lê-lo depois, não quero me influenciar com expectativas.

    ResponderExcluir
  27. nunca li nenhum livro dele, dai vi minha amiga lendo a culpa é das estrelas, ela estava com os olhos cheios de lagrimas, e ai venho pesquisado resenhas do livro e confesso que estou louca para lê-lo.

    ResponderExcluir
  28. tive a oportunidade de ler o primeiro capítulo e me apaixonei pelo livro (não tem como não se apaixonar) gostei muito muito da história envolvida no livro.

    ResponderExcluir
  29. Oi..

    Amei esse livro, mas acho que deve ser uma história triste essa, mas espero que essa história tenha um final feliz, detesto quando livro acaba e ficamos a chorar e chorar...

    ResponderExcluir
  30. Ah, eu li muitas boas resenhas sobre esse livro e a cada vez que leio outro sinto mais vontade de ler! Estou muito curiosa para tirar minhas próprias conclusões, já li o primeiro capitulo e quero muito ler o resto! rs

    ResponderExcluir
  31. Esse livro tem emocionado muitos leitores. A princípio, a capa não me atraiu nem um pouco, mas depois de tantas resenhas positivas dou uma chance a esse livro.

    ResponderExcluir
  32. Todo mundo que lê esse livro gosta bastante, nunca li nada do autor, mas estou muito curiosa sobre esse livro !

    ResponderExcluir
  33. Eu já li e ouvi várias recomendações a esse autor e especificamente esse livro, eu fico com o coração na mão com histórias triste e choro horrores, saber que a protagonista tem câncer já nos faz pensar em todo sofrimento que ela deve passar. EU quero muito ler esse livro para me emocionar nessa estória que parece tão bonita.

    ResponderExcluir
  34. Particularmente não gosto de ler resenhas antes de ler o livro!!
    Então se eu tiver de ganhar essa promoção falando a respeito de que eu gostei ou não vou ficar devendo...em todo caso gostaria sim de ganhar!!
    É minha opinião sincera ...

    ResponderExcluir
  35. Confesso que nunca tinha ouvido falar de John Green - pelo menos não me lembro - mas depois do lançamento do livro, e toda repercussão que teve, fiquei curiosa para lê-lo. Apesar de gostar mais do gênero NY, e romances bem clichês e fofíssimos (o que ao meu ver não se encaixa na sinopse e na resenha), todo mundo fala tão bem desse livro que desperta a curiosidade em qualquer um. Só espero que o livro não me decepcione como outros que foram extremamente elogiados mas, infelizmente, não me encantaram em momento algum. Enfim, espero ganhar a promoção - e se não ganhar, eu mesma compro! rs

    ResponderExcluir
  36. Não tenho palavras pra descrevê-lo.
    Farei das palavras presentes nas capas, as minhas: "você vai rir, chorar e ainda vai querer mais."
    Ri, chorei e ainda quero mais! Um livro emocionante. Nada comparável. Vale a pena ler, super recomendo!
    Um livro muito envolvente, não consegui parar de ler e, quando acabou, fiquei surpreso pois queria mais.

    ResponderExcluir
  37. Talvez esse artigo definido antes dos pronomes próprios vá me empacar na leitura, mas espero q isso não me faça deixar o livro de lado ou algo do tipo, mas pela resenha parece ser um livro adoravel de ler e envolvente (apesar da protagonista morrer no final).

    ResponderExcluir
  38. Não conhecia o autor, mas foi por esse livro que o conheci. Eu gosto de dramas e romances, porém não fiquei entusiasmada para ler esse livro - Não sei o porquê. Também achei estranho essa coisa de usar artigo definido antes do nome. Mas enfim... Parabéns pela resenha. xD

    ResponderExcluir
  39. Amei a resenha,to doida para ler esse livro!

    ResponderExcluir
  40. Vez ou outra me deparo com esse livro, mas nunca realmente procurei me atualizar sobre ele, lendo sua resenha achei o livro bem interessante, mas tem um porem eu não sei se conseguiria lê-lo, essa temática de doença terminal sempre me deixa apreensiva, muito emocionada. Mas eu me esforçarei, e espero que consiga ler ele. Parabéns pela resenha e pelo blog. Sucesso!

    ResponderExcluir
  41. Estou muiiiiiiiiiiito afim de ler esse livro,mas a grana ta pouca.

    ResponderExcluir
  42. O artigo definido antes do nome Tmb me irritou e muito. Era toda hora . Tmb acho que nao tinha necessidade!
    Das resenhas que li, vc foi a única que tocou nesse ponto.

    ResponderExcluir
  43. Eu gostei muito do livro e achei o final mesmo UOU !!! Mas sabe ? Fiquei frustada porque aquilo que Hazel queria saber sobre o que aconteceu às personagens do livro eu também quis , mas acabamos por ficar sem saber .
    www.fofocas-literarias.blogspot.pt

    ResponderExcluir
  44. Ninguém usa o artigo definido antes de nomes próprios? pois você está muito enganada. Já vi muitas pessoas usando, inclusive eu. Talvez seja um vicio de linguagem, ou coisa do tipo, mais soa bem mais estranho falar, por exemplo: Eu e Joana vamos ao cinema, do que Eu e a Joana vamos ao cinema.

    ResponderExcluir
  45. ''Não sei se existe de fato uma regra quanto a isso em português como existe em inglês, mas acho ESTRANHO ficar usando artigo definido antes de nomes de pessoas.'' Sim querida, é regra. Errando é dizer/escrever sem o artigo mesmo, tal como a confusão entre o ter/haver (hoje não tem aula (errado)/hoje não há aula (certo). Foi um erro que se convencionou, digamos assim, mas não deixa de ser erro. Mas em caso de duvidas, consulta uma gramática ou um livro de linguistica que está lá tudo explicadinho ;)

    ResponderExcluir
  46. Oi adorei sua resenha...mas vc já leu o livro reverso escrito pelo autor Darlei... se trata de um livro arrebatador...ele coloca em cheque os maiores dogmas religiosos de todos os tempos.....e ainda inverte de forma brutal as teorias cientificas usando dilemas fantásticos; Além de revelar verdades sobre Jesus jamais mencionados na história.....acesse o link da livraria cultura e digite reverso...a capa do livro é linda ela traz o universo de fundo..abraços. www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?nitem..busca.livrariasaraiva.com.br/saraiva/Reverso
    www.buqui.com.br/ebook/reverso-604408.html

    ResponderExcluir
  47. Oi Eve, sua resenha foi muito boa e eu não acredito que você não chorou com esse livro! Logo você que é sempre tão sensível com certos livros. Enfim, confesso que não chorei compulsivamente, mas derramei algumas lágrimas rsrsrs
    Amei o romance da Hazel com o Gus! <3 <3 <3

    ResponderExcluir

- Adoro saber a opinião dos leitores! Deixe seu comentário e eu responderei no seu blog, mas nada de comentários ofensivos hein?