Memes do Mês #3


Fim de Mês é época de postar os memes que me repassaram! Esse meme me foi passado pela Mandinha e pela Jess do Lendo e Comentando.

Sobre Mim

Nome: Evellyn Fonseca Feijó.
Apelido: Eva, Eve, Lyh, Lillynha, Evellynda (hahahah), Meio-quilo, Ting, Tuque, Ling...
Signo: Touro com ascendente em Áries. Eu adoro astrologia e acho que minha personalidade muitas vezes tem relação com o esperado de pessoas do meu signo enquanto em outras é totalmente o oposto (exemplo: sou taurina que não gosta de natureza)
Você está apaixonada? Não.
Você já fugiu de casa? Não. Já fiz vários planos, mas nunca pus em pratica porque não teria como me manter...
Você ri de coisas bobas? Demais! Eu praticamente vivo com um sorriso no rosto então rir pra mim não é problema...
Já beijou na chuva? Não. Mas já numa pré-chuva (porque foi um milagre tão grande que eu beijei e caiu um temporal logo em seguida!)
Você já teve o coração partido? Na prática não, mas no sentimental sim... Totalmente,
Você já partiu o coração de alguém? Eu espero que não, sou tão legal (e modesta.. Hahahha)
Você está sentindo saudades de alguém agora? Sim.
Você já pensou em se matar? Sim. Mas ficou só em pensamento mesmo :O
Seu cabelo te odeia? Na maioria dos dias, sim.
Tem medo de escuro? Não mais.
Você tem tatuagem? Ainda não.

Sobre Música

Gosta de ouvir música muito alta? AMO!! Se eu estou em casa sozinha só ouço música assim, mas por outro lado, não ouço musica muito alta com fone de ouvido porque minha prima perdeu parte da audição assim, e musica muito alta 'entrando-na-minha-cabeça' me incomoda! Gosto de musica alta em som de caixa externa mesmo!

Você lembra dele quando escuta uma determinada música? Dele who? Huahuah Tem músicas que me lembram ELE, mas nada muito especial... Não mais.

Foi ao show da sua banda favorita? Não!! E isso é porque eu sou A PIOR FÃ DO MUNDO. Nunca fui ao show do RBD nem do Mcfly. Bem, perdi a chance com RBD, mas espero ir a um do Mcfly um dia porque né, eles estão aqui no Brasil todo ano, umas duas vezes! rs

Música Favorita: Não posso escolher uma só! As recorrentes são: The Trouble With Love – Kelly Clarckson, Issues – The Saturdays e Band Aid – Pixie Lott. No momento estou numa fase total Last Kiss por Boyce Avenue com Megan e Liz, Give Your Heart a Break da Demi Lovato e We Found Love da Rihanna.

Sobre Cinema

Ama filmes de romance? AMO! Eu não me considero romântica na vida, mas a verdade verdadeira é que sou uma manteiga derretida para filmes de romance.. Adooro, choro o quanto tenho que chorar e penso que um dia pode acontecer comigo!

Filmes de comédia ou terror? Comédia, sempre.

Filme Preferido: EVER é difícil. Mas meu TOP 3 sempre tem Diário de uma Paixão, Letra e Música e Nunca é Tarde para Amar.

Séries Preferidas: Friends SEMPRE. Two and a Half Men (na era Charlie), The Big Bang Theory, 2 Broke Girls, como sitcoms. CSI, Cold Case e Bones de investigação. Pushing Daisies eu amei muito. Gossip Girl, The OC, Gilmore Girls de vida jovem. Sex and the City de vida cosmopolita - ahhahaha.

Sobre Literatura

Gosta de Ler? Não, imagina... *unbelieveble face*

Um livro que marcou sua vida: Um é pouco pra definir 21 anos de vida! Por que tanta Pressa de Crescer, Paixão, Drogas e Rock'n'Roll e Um Dia.

Um livro que você Odiou: Acho ÓDIO uma palavra forte demais, não gosto da ideia de ODIAR algo. Mas eu definitivamente não consegui ler Sex and the City.

Eu Li: O Legado da Caça-Vampiro (The Rest Falls Away)

O Legado da Caça Vampiro é o primeiro volume de uma série de 5 livros (por enquanto..) das Crônicas Vampíricas de Gardella. Nele conhecemos Vitória Grantworth uma jovem prestes a debutar na alta sociedade londrina do século XIX. Ela está dois anos atrasada, pois nesse tempo esteve de luto pelo avó e então pelo pai, mas agora precisa sair e freqüentar os bailes a procura de um bom marido. Acontece que enquanto saí por ai rodopiando em salões, preenchendo cartões de dança, também precisa combater vampiros que estão a solta entre meros mortais e precisa fazer isso com muitas discrição. 

O livro é narrado em 3ª pessoa, então nós conseguimos ter uma boa visão de todos os personagens embora o foco seja mesmo nas ações de Vitória. Gostei dela como protagonista. É jovem, vive numa sociedade onde a mulher não tem muita vez e ainda assim consegue se impor, ser forte e fazer o que realmente quer, não só o que se espera dela. 

A liberdade de usar calças!
Vitória chegara aos vinte anos sem nunca ter experimentado uma liberdade completa de movimentos, a perda do medo de tropeçar na própria saia e a pura indecência de ter as pernas expostas e definidas daquela maneira tão imprópria
ai, como amo ser mulher no século XXI!

O livro tem diversos personagens de núcleos diferentes e gostei de como a autora soube expressá-los, de forma que senti carisma pela maioria. A mãe de Vitoria e suas amigas - que estão empenhadas em arrumar um bom partido pra ela - tem diálogos bem interessantes, além de serem a parte 'normal' do enredo, as senhoras da sociedade que não tem muitas preocupações além de saber qual será próximo evento. É legal perceber que estão todos cercados de vampiros, mas ninguém sabe da existência deles (isso é recorrente, mas não é impressionante?). Quando Vitoria aceita a missão, tem que arranjar uma forma de lidar com isso E aparentar ser só uma mocinha comum. 
- Como devemos nos dirigir ao... mestre matador de vampiros? Milorde? Sua Graça? Vossa Magestaca?
tradução boa! #euri
A tia Eustácia é quem carrega esse legado da família e é com ela que Vitoria aprende sobre como combater esses seres do mal (quem inventou essa historia de vampiro bonzinho?). Para isso ela conta com a ajuda de Max, um Venador (que é como chamam os caça vampiros) mais experiente e que, a principio, não gosta muito dessa intromissão de uma jovem que até pouco tempo antes mal sabia da existência desses seres e não parece preparada o suficiente. Além disso, Vitória consegue como aliada sua criada, a engraçada e muito perspicaz Verbena - ela é quem ajuda Vitória nas escapadas, além de ter tiradas engraçadas.

Em meio a caçadas, Vitoria ainda conhece o partido-dos-sonhos, o jovem marques de Rockley, e um interesse mútuo surge. Gostei de como a autora soube criar um clima de romance para os dois, mesmo com o pouco tempo de convivência! Eu realmente fiquei encantada pelo lorde Rockley e embora esse livro tenha uma espécie de quadrângulo amoroso, eu não tive duvidas que o Marques era meu favorito! Ele é um personagem encantador e mesmo quando faz umas burradas, consegui entender seu lado de preocupado-apaixonado. 

A historia toda tem um ritmo muito bom, é praticamente ação desde o primeiro capitulo! O romance nesse livro é bem dosado. Achei bom que apesar de ser um livro de época, as coisas entre eles não soaram forçadas ou muito chegadas a pieguices. Dizem que a série adquire um teor bem erótico mais a frente, mas acho que neste volume as coisas estão leves

Em alguns momentos tive a sensação que as 'lutas' ocorriam sem muita dificuldade, mas entendi que elas duravam o necessário para o andamento do livro e talvez a autora quisesse demorar mais em momentos mais cruciais e não nas caçadas comuns.

Mas foram os capítulos finais me deixaram muito tensa porque é uma reviravolta bem impressionante que acontece e embora eu esperasse de certa forma – achei que a forma com que a autora narrou, fez a tensão do momento ficar palpável aos leitores. E fiquei um pouco triste porque não queria que um fato acontecesse, embora ele fosse praticamente inevitável, de acordo com o decorrer anterior dos fatos.
Então acho que foi um bom começo de série e mesmo assim é um livro que fecha bem. É bom saber que tem uma continuação mas que o livro não ficou em aberto por conta disso. Eu realmente não sei bem o que esperar dos próximos, mas estou certa que a ação e emoção das caçadas ainda aparecerão.

A Jardim dos Livros está de parabéns pela diagramação do livro - as páginas são desenhadas, a fonte é num bom tamanho e a tradução também está boa. Não notei grandes problemas com a revisão, então mais um ponto! O próximo livro já está na fila.

Música: The Pretty Reckless

Conheci essa banda pois a cantora, Taylor Momsen fazia Gossip Girl (alias, gosto da banda e da Taylor, mas fiquei com muita raiva porque transformaram a Jenny [personagem] na própria Taylor na série e isso ficou estranho, mudaram o estilo da personagem da água pro vinho do nada!). A banda tem músicas no estilo bem rockinho. Uma coisa que me faz lembrar Kelly Clarkson com Pink com Paramore, com umas letras mais pesadinhas. A banda foi formada em 2009 e já sofreu algumas alterações de composição,  mas Taylor permanece firme e forte, com seu visual grunger-rocker-glam (adooooro).

Eu realmente gosto das músicas da banda e da voz da Taylor é uma coisa meio arrastada, parece que ela canta sem se importar e sem forçar (mesmo quando solta uns agudos). Se você olha pra cara dela na 1ª temporada de Gossip Girl jamais imagina que aquela garotinha tem um vozeirão desses.

O que mais gosto são definitivamente os nomes das músicas. Amo nomes interessantes para músicas, do tipo que desperta a curiosidade e dá vontade de ouvir! Tem He Loves You, My Medicine, Miss Nothing, I Really Fuckin Love YouMake me Wanna Die (ui). As músicas tem letras meio irônicas sobre amor e relacionamentos e eu acho isso muito legal!

Mas a indicação do post especificamente é uma música que até destoa de todo esse clima girl-rock-rebel. You é um single que fiquei apaixonadinha assim que ouvi e a banda lançou um clipe recentemente! Os clipes da banda costumam ter uma vibe meio destroyed, meio rebel, meio crazy. Mas essa música tem uma letra tão diferente, tão calma, tão fofa - diferente do usual - e o clipe ficou no estilo 'dor de cotovelo'.


Em agosto, The Pretty Reckless passará pelo Brasil, fazendo shows em alguma capitais e eu estava querendo ir, mas 'azamiga já querem me levar pra ver Adam Levine e sua Maroon 5, então vou preterir Taylor a Adam! rs

Projeto 52x5: Semana #8

Adooorei essa! Claro que eu amo tanto filme infantil que escolheria 10 sem dificuldades...


Semana 8: Os melhores filmes infantis que já assisti foram:
5 - Megamente (acho até que tem um humor muito refinado pra ser entendido por criancinhas, ainda mais brasileiras!)
4 - O Rei Leão
3 - Meu Malvado Favorito
2 - Tarzan
1 - Alladin (sempre e sempre)

Ain, faltou Mulan, que eu amo demais também! rs

Entrevista: Melissa Kantor

Melissa Kantor é uma das escritoras do 'Amanda Project' cujo o primeiro livro Invisible I, parece ser muito bom (sempre me perguntei porque nenhuma editora comprou os direitos ainda). Mas ela também tem outros livros direcionados ao publico YA: If I Have a Wicked Stepmother, Where's My Prince?, Confessions of a Not It Girl, The Breakup Bible, Girlfriend Material e a série The Darlings

1- Oi Melissa! Nos fale sobre seu dia quando você não está escrevendo. O que você gosta de fazer?
Eu sou professora de Inglês, então meus dias são sempre cheios devido meus alunos. É um ótimo meio de passar o tempo. Escrever é uma das minhas paixões mas ensinar é a outra, definitivamente.

2- Quando você cansa de escrever (fica empacada) o que você faz para sair desse estágio? Eu procuro pessoas em quem confio. Minha primeira editora era uma amigo próxima, então eu sempre procuro ligar para ela ou mandar um email. Na maioria das vezes, enquanto escrevo o email, vejo que acabo trabalhando no problema um pouquinho. E ela me ajuda com o restante quando me responde.

3- Que tipo de coisas te inspira a escrever?
Lembrar com era quando estava no ensino médio é realmente uma boa dose de inspiração. Algo acontece que acende a memória e eu penso 'preciso me lembrar disso'. Esses sentimentos são tão únicos nessa fase da vida que é preciso ser atento para representá-los direito.

4- Você é professora, certo? Qual era sua matéria favorita nos tempos de escola? E a menos favorita?
Eu sempre amei Inglês. Não posso dizer se eu tinha uma matéria que gostava menos... Mesmo eu não sendo exatamente uma pessoa 'das ciências matemáticas', eu costumava gostar das aulas. O engraçado é que Inglês sempre foi minha matéria favorita, MAS minhas aulas menos favoritas eram as de Inglês ensinadas por professores ruins. Talvez por eu saber que estava perdendo algo quando isso acontecia.

5- Você ouve música quando escreve? Se sim, que tipo de música? Existe alguma playlist?
Meu alunos amam escrever enquanto ouvem música, mas eu não posso escutar NADA enquanto estou escrevendo. Distrai demais! É assim porque sou de uma outra geração....

6- Diga um nome de um filme que você gostaria de ter escrito.
Manhattan do Woody Allen ou Noivo Neurótico, Noiva Nervosa (Annie Hall) também dele.

7- The Darlings é sobre amizade. Quem é seu melhor amigo? Há quanto tempo vocês mantem essa amizade?
Minha melhor amiga eu conheço e somos amigas desde a sétima série. Eu a amo e mesmo que nós briguemos as vezes (como irmãs) e vivamos em lados diferente do pais, não consigo imaginar minha vida sem ela.

8- Quick questions:
Que livro você está lendo no momento: Eve, da Anna Carey. Acabou de chegar e estou muito ansiosa pela leitura!
Um programa de TV que você não perde: Downtown Abbey. Estou viciada.
Alguns autores YA que você adora: Rachel Hawkins (de Hex Hall), E. Lockhart (The Boyfriend List, Dramarama), Rachel Cohn (de Noite de Amor e Música, Pão de Mel). Acabei de ler Everything You Need to Survive the Apocalypse, do Lucas Klauss, é um livro novo e estou louca por ele.
Quanto tempo você costuma levar pra escrever um livro: Isso varia. Costuma ser algo entre 6 semanas a 2 anos. Sério.
Uma música que você ame: Eu amo músicas bem bregas. Qualquer coisa do Abba, definitivamente.

9- Você tem algum projeto em andamento?
Estou para começar a ecsrever meu próximo livro, que se chamará There Are No Cheerleaders in Heaven [precisa dizer que já gamei nesse nome?]. Será um pouco triste, mas espero, uma historia verdadeira sobre amizade e amor.

10- Obrigada Melissa! Para terminar, sobre seu novo livro 'The Darlings in Love' (2º livro da série Darlings). Alguma chance de vê-lo – ou qualquer outro de seus livros – aqui no Brasil? Estou de dedos cruzados!!!

Você pode encontrar Melissa nas redes sociais: Facebook - Twitter - Goodreads

Lista #2: Musicas para os Casais I

Eu amo listas, embora não as escreva na minha 'vida prática'. A tag listas aqui no blog só teve um post e como ultimamente ando muito musical (bem, sempre sou musical, mas lembrei de fazer o post só agora), a lista da vez é sobre Músicas para os Casais dos livros. Algumas dessas até citei na própria resenha, mas resolvi deixar organizadinho – como eu (-n). Cliquem no nome da música para ouvir e vocês serão redirecionados para o youtube. Para tradução das letras, o grande oráculo do século XXI tem a ferramenta!


1  – Casal: Vicky e Brian
Música: Addicted – Kelly Clarckson
Comentário: Sim, eu não poderia ter sido mais clichê ao escolher essa a música-tema para esse casal, mas fazer o que? Sou um clichê ambulante! Deixando de lado a relação drogas-vicio, a letra dessa música é realmente muito conveniente para a historia desse casal! Até a melodia dela é perfeita, todo o clima intenso e aquele tom de drama.

"And I know I let you have all the power
It's like the only company I seek is misery all around
It's like you're a leach
Sucking the life from me"

2  – Casal: Eden e James
Música: On the Edge – Ruth-Ann Cunningham
Comentário:  Esse foi um daqueles livros que quase fiz uma trilha sonora completa, mas escolhi essa pra representar o casal porque ela me lembra algumas passagens do livro. Essa música é meio incógnita porque ninguém sabe exatamente nada sobre a cantora e a letra oficial é praticamente inexistente! Mas ouçam e digam se não é linda.

"at the start of falling falling down,
on the edge on the edge yeah,
at the turn of leave or staying,
on the point of truth or straying,
i'm in the ring, i'ma breaking breaking out,
on the edge on the edge of my doubts"

3  – Casal: Anna e Etienne
Música: Le Ciel Dans Une Chambre  –  Carla Bruni
Comentário:  Uma música francesa para um casal que se conhece na França! Tá certo que acho essa música muito 'densa' pra um casal tão novinho, mas a letra é tão leve e me lembra os momentos que os dois ficaram sozinhos na escola, os momentos que eles passavam juntos, os passeios por Paris.

"Abandonnés tout comme si,
Il n'y avait plus rien, non plus rien d'autre au monde"

4  – Casal: Belly e Conrad
Música: You – The Pretty Reckless
Comentário:  Esse casal na verdade nem 'existe' de verdade no livro. Porque a Belly é uma criatura indecisa que na sabe se prefere o novinho ou o mais velho e como os irmãos Fisher são igualmente adoráveis (cada um a sua maneira) fica mesmo complicated escolher só um para amar. Mas é justamente essa indecisão (que ao mesmo tempo nós sentimos o tempo todo que ela não ta indecisa e sabe quem quer, mas tem medo de magoar o outro) que me faz pensar nessa musica porque entre os dois a coisa não é fácil!

"You can't feel me, no
Like I feel you
I can't steal you, no
Like you stole me"

5 – Casal: Lena e Alex
Livro: Delirium
Música: We'll Be a Dream – We The Kings ft. Demi Lovato
Comentário: Enquanto lia esse livro tive a sensação que essa seria a música perfeita pro casal. O clima/letra da música me lembrou muito a atmosfera da história e achei completamente conveniente. O livro é uma distopia e achei que a música se relaciona bem com isso... Sobre a questão de sonhar com algo fora da realidade, algo que parece inalcançável e um mundo onde ficar com quem se ama é mais fácil, sem tantos empecilhos.

"When the lights go out
We'll be safe and sound
We'll take control of the world
Like it's all we have to hold onto
And we'll be a dream"

6  – Casal: Gin e Step
Música: Imbranato – Tiziano Ferro
Comentário:  Taí um musica que conheço e amo desde Mulheres Apaixonadas, mas nem sabia o que significava porque meu italiano molto bene resume-se a 'mi chiamo Evellyn y sono una studentessa'. Mas aí pensei numa musica italiana pra esse casal e fui procurar o significado dessa e não é que tem bastante a ver?

"Ci risiamo. Va bene, è antico, ma ti amo
Scusa se ti amo e se ci conosciamo
Da due mesi o poco più
Scusa se non parlo piano"

O que vocês acham das minhas escolhas? Que músicas vocês acham que combinam com os casais que citei?

Meme: Julgando pela Capa


Esse meme foi criado pela Lu, do Livros, Filmes e Conversa Fiada, a Pah, do Livros e Fuxicos e a Aione do Minha Vida Literária.  A Mi acabou me indicando para responder as perguntas e eu adorei!

Regras:
- Colocar o banner;
- Ao fim do meme, indicar 5 blogs para responder as perguntas;
- Responder os tópicos abaixo:
  • Cite 1 livro que você já leu só por causa da capa.
Eu li porque também achei a ideia da história sobre anjos caídos legal (foi o 1º que ouvi falar depois de Halo e também o 1º de anjos que li), mas o que me motivou mais a ler foi a capa fantástica de Fallen!
  • Que tipo de livro você não lê por causa da capa? 
Não é que eu não leia devido a capa (a sinopse também me assusta, mas me deixa curiosa) . Mas esse livro tem uma capa que me dá medo!


  • Que livro você relutou em ler por causa da capa, mas gostou? 
Um Dia! Definitivamente a capa original dele não me atraiu em nada e eu nem teria lido a sinopse por ela (#triste) Mas eu acabei lendo as informações e depois algumas resenhas muito positivas e fiquei curiosa pela leitura. Não deu outra, AMO o livro e é um super favorito!
  • Que livro te decepcionou, mas você gosta da capa? 
Não seria decepção, porque a decepção só acontece quando você espera algo de alguma coisa e a coisa não se concretiza, e com esse livro não ocorreu isso porque eu não tinha grandes expectativas, então ele só não me surpreendeu... Foi  O Preço de uma Lição. A capa é muito lindinha, jovem e atual, mas a leitura foi mediana.
  • Quais as suas 5 capas de livros preferidas?
Só 5 seria impossível! Já respondi uma pergunta assim no inicio do blog, mas agora fiz uma versão um pouco mais atualizada com algumas capas que acho lindas. As 3 da série The Ghost and the Goth não podiam ficar de fora! A de Fallen também podia estar aí, mas como ela já está no post, não quis repetir!

Eu Li: Inside Girl

Esse livro é sobre Flan Flood, uma garota de 14, rica e popular – não por conta própria, mas por conta de seu irmão mais velho Patch e sua irmã February – ela sempre estudou em um colégio particular, mas neste inicio de ano letivo, ela quis se transferir para uma escola publica. 

Uma coisa interessante sobre essa série é que ela é uma espécie de spin-off de outra serie do autor – The Insiders – que conta justamente a historia do irmão de Flan, Patch e mais 4 amigos. É bem legal, porque esses amigos da série Insiders também aparecem em IG e eu gostaria de ler a serie dos meninos para poder conhecê-los melhor. 

Flan – adoro esse nome! – tem pais bem liberais, que vivem viajando pelo mundo e a deixam basicamente sob os cuidados dos irmãos, mas como Patch e Feb são baladeiros, ela passa a maior parte do tempo sozinha. Ela está acostumada a uma vida glamurosa, com muitas festas e celebridades, mas tudo que ela quer é ter um grupo de amigos confiáveis e que ficassem com ela por quem ela realmente é e não por conta da fama dos Flood. 

No novo colégio, ela faz amizade com duas amigas, Meredith e Judith. Gostei muito das meninas, elas são o tipo de amigas que completam uma a outra e lembrou-me meu grupo de amigas na escola. Claro, ela também conhece um carinha muito interessante, Bennet. Bennet é o 'segundo' mais gato da escola e trabalha no jornal. Bennet é muito legal, mas é aquele tipo de garoto que só existe em livros, tamanha a fofura dele! 

Mas a vida de Flan começa a se complicar quando ela tem que tentar unir a vida de garota comum, a vida que ela esta acostumada. Ela é melhor amiga de uma super atriz adolescente, Sarah-Beth Benny (SBB) e precisa arranjar uma forma de unir os dois mundos (que coisa mais Hannah Montana). Além de SBB, temos Liesel – uma socialite e promoter muito famosa e Philippa.

Eu gostei do livro. Claro que achei o livro bem teen, do tipo que faz um super sucesso entre os pré-adolescentes e adolescente, mas a historia é bem bonitinha e pode agradar a outros públicos. A Flan é uma garota rica que poderia integrar Gossip Girl, mas ela não é nada metida, pelo contrario. E a forma com que ela quer unir todos os amigos – os ricos e famosos com os 'comuns' – faz dela uma personagem bem carismática. Claro que em alguns momentos achei todo o drama dela um exagero, mas acho que quando se é adolescente, as coisas são assim mesmo: elevadas ao extremo. 

Sobre os demais personagens, gostei de todos! SBB é realmente uma maluquete e isso logo me cativa. Então também temos Liesel que é meio 'fora da realidade' devido a todo glamour que está acostumada, mas nem por isso ela se torna antipática – só meio explosiva em alguns momentos. E Philippa também não aparece tanto, mas gostei dela. 

Alias, Philippa aparece na serie Insiders – por ser namorada de um dos garotos. Acho que nos próximos livros da serie IG (que conta com 5 ao menos – as séries se misturam, não consegui entender!) teremos mais desenvolvimentos dos personagens. 

Eu só não entendi uma coisa: no site oficial diz que o livro 'The Swettest Thing' é o 3º livro, mas a iD já lançou o 2º livro com o nome de 'A Coisa Mais Doce' e a historia é a mesma do segundo livro, que em inglês se chama 'Some Kind of Wonderful ', então não entendi qual foi a da tradução! 

Projeto 52x5: Semana #7

É estranho pensar em ações recorrentes e que realmente nunca sejam quebradas, mas consegui pensar em algumas coisas aleatórias.



Semana 7: Eu sempre...
5 - tomo remédio antes de dormir e ao acordar
4 - grito (mesmo que seja em pensamento) 'Daaaaaaanny' ao ouvir a introdução de Falling in Love #aloka
3 - tomo café com adoçante
2 - bebo muita água
1 - consigo sorrir, mesmo que eu não esteja feliz.

Spotlight on: Intrínseca, Pandorga e Galera

Alguns lançamentos das editoras parceiras que eu estou curiosa - e aguardando resenhas!!

A editora Intrínseca está lançando Sexo na Lua, de Ben Mezrich, o mesmo autor de Bilionários por Acaso. O cara está acostumado a escrever sobre historias reais e transformá-las em bestsellers! Assim que vi o nome desse livro fiquei pensando 'mas porque a Intrínseca ta lançando um livro que deve ser uma coisa meio auto-ajuda? (eu nem tinha visto a capa, porque se eu tivesse visto teria imaginado algo diferente...)' Hahaha não podia estar mais enganada! Mas também, por que a pessoa põe esse nome num livro que fala sobre roubo e programas espaciais? Leia a sinopse e tudo se esclarecerá! 


Sinopse: Após ser selecionado para o competitivo programa de estágios da Nasa, o universitário Thad Roberts sonha em ser o primeiro homem em Marte, mas uma paixão avassaladora o tira de órbita. Como muitos homens, ele promete dar a Lua de presente para a amada – e decide cumprir a promessa ao pé da letra. Transforma a fantasia em realidade ao pôr em prática um audacioso plano para roubar amostras lunares trazidas pelas missões Apollo e mantidas em um laboratório aparentemente inexpugnável. 
Em Sexo na Lua, o jornalista Ben Mezrich reconstitui a história real de um roubo que parece ter sido inventado pela mente criativa de um roteirista de Hollywood. Apoiado em pesquisas meticulosas e entrevistas com os principais envolvidos, Mezrich constrói uma narrativa de ritmo alucinante, que prende o leitor da primeira à última página.
A editora Pandorga adiou um pouco, mas finalmente está saindo o 3º livro da Jennifer Echols em território nacional: Love Story - Uma História de Amor (amei terem mantido o titulo em inglês). Jennifer E. é uma dessas autoras jovens que eu tenho muita vontade de ler algo, mas até hoje não consegui ¬¬'. E esse livro é sobre pessoas que escrevem, então rola algo de identificatório 


Sinopse: Para Erin Blackwell, estudar escrita criativa na faculdade dos seus sonhos em Nova Iorque é mais do que uma oportunidade para conquistar suas ambições, é sua passagem para longe das lembranças trágicas que acompanham a fazenda de cavalos de sua família no Kentucky. No entanto, quando ela se recusa a estudar administração e cuidar da fazenda, sua avó decide oferecer o dinheiro da faculdade e a prometida herança de Erin ao seu lindo cavalariço, Hunter Allen. Agora Erin precisa conseguir um estágio e trabalhar até tarde em uma cafeteria para tornar seu próprio sonho realidade. Ela deveria desprezar Hunter… mas por que ele entrou de surpresa em seus pensamentos como o herói de seu último dever de casa? No dia em que ela está compartilhando a história com a turma, Hunter aparece. E entra no grupo. E depois que ele lê sobre si mesmo na história, as fantasias íntimas de Erin são dolorosamente expostas. Ela espera persuadi-lo a não revelar seu segredo para o grupo, mas Hunter prepara sua própria vingança criativa e escreve histórias sensuais que deixam a sala inteira curiosa e enchem o coração de Erin de desejo. Agora ela não está apenas imaginando o que poderia ter acontecido, está escrevendo um fim completamente novo para seu romance com Hunter... Só que essa história pode se tornar realidade.

A editora Galera está com muitos lançamentos nesse início de ano, para agradar todos os públicos.

O Verão e a Cidade é o segundo volume da série Os Diários de Carrie, que é uma prequel do livro Sex and the City (cuja a série de tv eu AMO e o livro eu ODEIO - sou uma pessoa de fortes emoções). Mas o que importa é que todo mundo concorda ao dizer que a série da Carrie adolescente é infinitamente melhor que o livro de quando ela esta adulta (que é muito louco!). Como fã dessa mulher, eu sou curiosa para ler essa série, apesar da minha experiencia #fail com o livro original.

Sinopse: Carrie Bradshaw vai para a grande cidade frequentar um curso de escrita, dado por um professor famoso. Vive deslumbrada com a vida em Nova Iorque mas as desilusões sucedem-se. À medida que vai penetrando nos meandros da vida citadina, começa a travar conhecimento com aquelas que serão as grandes amigas na sua idade adulta. Primeiro, conhece Samantha, depois Miranda. Escreve uma peça de teatro, que não tem ponta por onde se lhe pegue. Apaixona-se por um homem mais velho que, ao saber que ela faz 18 anos nesse dia, foge literalmente da cama e a põe na rua. Acaba por perder a virgindade nesse mesmo dia, com um colega da mesma idade. O Verão acaba e Carrie regressa a casa, uma vez que não arranjou maneira de ficar em Nova Iorque. Vai no comboio quando… Querem ver que vamos ter um terceiro romance?

E também tem o livro daquela série famosa baseada em HQs, The Walking Dead (que eu não vi e tenho medo de ver). O livro faz parte de uma trilogia (por enquanto né, who knows?). Esse primeiro tem o subtitulo de A Ascenção do Governador. Pra quem gosta do estilo, a dica é boa... Eu não sei o que pensar porque nunca vi a série e tenho medo dessa coisa pós apocalíptica!



Sinopse: No universo de Walking Dead, não há maior vilão do que O Governador. O tirano que controla a cidade de Woodbury tem seu próprio senso de justiça doentio: forçar prisioneiros a batalhar em uma arena contra zumbis apenas por diversão ou decepar os membros de quem tem o azar de cruzar com ele.

Resultado da Promoção de Férias

Olá! Hoje venho divulgar o resultado da promoção de Férias em parceria com os blogs: Books JournalIspirazioneEt CoetraCataventos de Ideias e Only The Strong Survive. Obrigada a todos que participaram! Continuem visitando o blog e participando das futuras promoções.


Primeiro Sorteado

O formulário de número 702 foi preenchido por Mônica Letícia de Oliveira, que divulgou a promoção no twitter.

Todos as regras foram checadas e a participação confirmada.
Para ver o print do formulário de Mônica é só clicar aqui.

Nós enviaremos um e-mail confirmando que você ganhou os três livros. O prazo de resposta é 48h, e a resposta deverá conter a preferência de dois livros entre os cinco cedidos para sorteio, e o endereço completo.


Segundo Sorteado

O formulário de número 683 foi preenchido por Letícia Siqueira Walter, que divulgou a promoção no Twitter.

Todos as regras foram checadas e a participação confirmada.
Para ver o print do formulário de Letícia é só clicar aqui.

Eu Li: O Preço de uma Lição

O Preço de uma Lição é a historia de um rapaz (vou chamá-lo de rapaz porque a criatura não tem nome) que se apaixona. O rapaz é um cara bonito, legal, inteligente, popular, cheio de amigos e além de tudo bem sucedido na carreira, apesar de muito novo. A principio ele não tinha muita sorte com os relacionamentos, mas tudo muda depois que ele conhece Juliana, uma garota de 15 anos que o faz se apaixonar a primeira vista. O único empecilho pra esse romance é que a garota mora em outra cidade e eles tem 5 anos de diferença de idade (o que nem é algo tão ohhh, mas quando a garota tem 15 e o cara 20, pode gerar um desconforto nos demais). 
 Se você brigar com a sua mãe, vai ser pior. Você não pode brigar com ela.
 Mas, se eu não brigar ela vai achar que manda. - falava, inconformada.
 Mas ela manda!
 É, mas não posso deixar que ela tenha certeza disso. - disse, derrubando-me em risadas.
#rimuito A Juliana até que era das minhas em alguns momentos!
O inicio do livro é bem confuso. Não gostei nada e mal consegui entender alguma coisa. Depois mergulhamos numa narrativa onde o protagonista começa a contar suas desventuras amorosas. Achei a narrativa do livro bem intrincada e não consegui curtir. A ideia da historia é boa, mas sinceramente, achei que foi mal desenvolvida. O protagonista frequentemente conta e reconta a mesma coisa, só mudando algumas palavras e em alguns momentos parece que estamos andando em círculos pela vida dele. Outra coisa que me incomodou foi a questão maçante das datas. É tudo muito datado! Dia tal, aconteceu isso, dia tal, aquilo, e em alguns momentos parece simplesmente que as datas não estão 'batendo'. Como se ele tivesse contado o futuro, aí voltado pro passado e quando vemos ainda estamos 2 dias depois de quando tudo começou e as datas só servem para confundir. 

A narrativa realmente me incomodou. Acho que eles poderiam ter enxugado mais o texto porque a repetição das historias cansava. Também é um livro que o protagonista tem uma rede muito longa de amigos e conhecidos então em alguns momentos ele começa a falar uns mil nomes e você não sabe quem é quem. Por exemplo, eu só fui notar que ele tinha uma irmã lá pra depois da página 100 porque não sei se ele mencionou isso antes. Em outros casos, ele fala uns 80 nomes de gente que ele nunca mais vai ver ou verá só daqui a 90 paginas e a gente já nem lembra. 

Realmente acho que a ideia da historia é bonitinha. É fofa – para quem gosta de um romancezinho meloso, é prato cheio. Eu achei piegas em grande parte. É muito 'te amo pra sempre', 'não vivo sem você', 'você é meu sol, meu mar'. Quando leio sou bem compreensiva em relação ao surgimento do amor/paixão (afinal, a gente não controla mesmo, podemos amar alguém que vimos uma vez e passar a vida toda com alguém e nunca amar a pessoa), mas meu incômodo maior nem foi em relação ao relacionamento deles e sim ao desenvolvimento da historia. Acho que a forma que ela foi contada não favoreceu. Muitas vezes senti como se estivesse lendo um roteiro: 'Fui para casa de Juliana. Passamos a tarde vendo TV. A irmã dela não falava comigo. Eu tinha medo do meu sogro'. Achei que faltou fluidez nessa parte. Além disso, o relacionamento deles é estranho. Mesmo depois de um ano, quando eles estão muito apaixonados, o romance não parece 'real'. Eu acredito que os meninos são capazes de amar, mas esse Rapaz tem umas ideias de relacionamento muito improváveis. Apesar do livro ser grande, tem partes desnecessárias, onde só acompanhamos o que ele faz sem ter grande significado pro enredo. 
Amor a primeira vista? Eu também não acreditava, até acontecer comigo. Juntos há tão pouco tempo, não me lembro de ter passado tantos momentos bons assim com ninguém! E o melhor é saber que mais momentos como esse virão! Cada minuto que se passa com ela, faz você querer passar mais três
Ah, o amor não é lindo? Esse inicio de relacionamento, essa sensação que tudo é cor-de-rosa *lixa unha*
Meu problema com o Rapaz é que ele é o tipo de protagonista idiota e que sabe que faz tudo errado, mas mesmo assim não muda! O cara tá sempre fazendo as mesmas burradas, pensando as mesmas coisas, repetindo o mesmo erro – e ele sabe disso, o que torna a idiotice muito pior! Um ciclo vicioso. Então eu também senti muita pena, porque ele é imaturo e chega a ser ingênuo, tamanha as bobagens que ele pensa e faz. Ele foi total culpado pelo fim do relacionamento!
Depois de lavar muita roupa suja, finalmente voltamos a namorar. Mas, quando uma pessoa é burra, não adianta... é burra!
Nem fui eu que disse isso, foi ele mesmo!
O romance deles ia bem até que o Rapaz começa a ter umas crises de #mimimi e uns ataques de #foreveralone e a Juliana fica cansada disso (eu pelo menos imagino que foi isso, já que o livro é todo na visão do Rapaz). Depois do término, as coisas até ficam menos cansativas – por exemplo, gostei das partes que ele fala sobre o trabalho dele – mas senti que, enquanto alguns fatos foram relatados ao extremo, outros foram mal desenvolvidos (basicamente qualquer coisa fora do relacionamento não teve um desenvolvimento profundo) Quem leu, me diga o que acha da conclusão relativa ao título do capitulo 20. 
Eu continuava dramático em relação a Juliana, sempre reclamando. Mas não percebia isso. Para mim, estava tudo bem. Em um fim de semana de outubro eu lhe disse:  Eu não vou até aí amanhã, se você quiser me ver, venha você para cá - mas a verdade é que eu não conseguia fazer isso e, no dia seguinte, lá estava eu indo pra Mogi.
Ai, essa infantilidade dele me cansava ¬¬'
O livro tem muitos diálogos. Alguns são bem dispensáveis, outros são fofinhos, outros fazem pensar...  Teve momentos que me fizeram refletir, pensar em como os relacionamentos são coisas complicadas e realmente o subtítulo do livro tem muito significado pra trama: às vezes amar muito não basta. Não é um livro ruim, a ideia é boa, tem coisas interessantes, só não curti como as coisas foram escritas. 

O interessante é que, lendo, parece que a historia é o diário de alguém e realmente aconteceu (embora ele seja classificado como ficção). Mas o que eu digo é: qualquer um pode escrever um diário, mas escrever um livro é outro departamento! A linguagem usada é boa, jovem e tudo o mais, mas a forma que foi escrito não me cativou. Parece o diário de um garoto de 11 anos... Talvez tenha faltado amadurecimento da historia, várias partes poderiam ser mudadas para que as coisas não ficassem tão repetitivas.

A resenha ficou enorme, mas eu queria explicar bem meu ponto de vista para não acharem que fui implicante com o livro. Não me agradou, embora eu tenha achado a ideia boa e nada impede que você leia e adore! Talvez pra alguém mais novo e com outras experiências de vida o livro seja melhor. Em breve terá promoção valendo o livro ;) Obrigada a editora Novo Conceito por ter enviado o livro para análise.

Happy Valentine's Day!!

Eu Vi: A Fera (Beastly)

A Fera foi um daqueles filmes que fiquei ansiosa para assistir logo que soube que estavam filmando. Lembro como se fosse hoje: li uma nota na Capricho (é, #soudessas) e lá nem mencionava que o roteiro era baseado num livro especifico, só que era baseado no conto de A Bela e a Fera. Isso foi lá no inicio de 2010... 

O filme demorou ANOS para estrear. Teve a estréia nos EUA adiada e a aqui do Brasil então... 2012 chegou, eles perceberam que o mundo está pra acabar e resolveram soltar logo o filme, afinal, já estava pronto mesmo, era melhor lançar do que ficar engavetado por mais tempo. 

Assisti ao filme antes de ler o livro, então meu único 'critério de comparação' era com a versão animada e fofa da Disney. Eu poderia escrever uma critica muito robusta, falando sobre roteiro e atuações e blábláblá... Mas vou apenas escrever o que achei da história e do ritmo do filme. 

Kyle é um jovem lindo, rico, mimado e que não 'recebe atenção o suficiente do pai'. Ele está acostumado a ser o centro das atenções e acredita que a beleza é o principal atrativo em uma pessoa para fazê-la se dar bem na vida. O cara concorre a um comitê de meio-ambiente na escola e a proposta dele nada tem relação com ajudar a natureza. Enfim, num mundo onde todo mundo parece não ligar pra nada mais além do próprio umbigo, ele até está bem. 

Veja, sou uma bruxa feia e má *só-que-ao-contrário* que vai te jogar uma maldição 

Eis que tem a garota estranha na escola (interpretada pela minha segunda gêmea Olsen preferida *há*, Mary-Kate), a rebelde, aquela que não concorda com toda a 'alienação' e futilidade dos alunos sobre beleza e popularidade quando outras questões deveriam estar em cheque. Kyle é um idiota total e resolve chamar a garota pra uma festa só pra humilhá-la em publico e assim ele faz. Ela então joga uma maldição nele e voilá, nosso gatinho Alex Pettyfer se transfigura numa criatura que não tem um aspecto de FERA como conhecemos: ele não tem pelos, mas é cheio de tatuagens estranhas pelo corpo e muitas cicatrizes. Devo elogiar o trabalho da maquiagem e caracterização porque conseguiram deixar o garoto bem estranho! Eu também gostei de não ser uma fera estilo lobo, porque senão ia ficar uma coisa muito 'forçada', digo, no desenho a Bela pode se apaixonar por um lobão, mas num filme que se passa nos tempos atuais, ficaria inviável! Então achei boa a solução de ele só ser uma pessoa com cicatrizes e tattoos...

I wanna hold your hand, you can lean on me

Enfim, o pai acaba o isolando numa casa no Brooklyn com a empregada e um professor particular – que é cego e é o personagem que solta aquelas tiradas irônicas que vemos em todos os bons filmes adolescentes. A mocinha Bela ops, Linda, acaba indo morar com ele por motivos que achei bem válidos – seria uma coisa idiota pensar em alguém encarcerado sem ser considerado sequestro e tal (como é na versão Disney animada), mas eles conseguiram um motivo 'acreditável' e então eles começam a desenvolver uma amizade muito bonitinha, cheia de companheirismo e essas coisas que nos fazem suspirar (ahhh). O pessoal caiu em cima da Vanessa Hudgens, mas eu a achei totalmente fofa e conveniente para o papel!

Sou uma fera sem pelos, limpinha, que usa jeans e camiseta e não vai te arranhar com garras!

Outra coisa que achei linda é a trilha sonora – e não é só porque tem 2 musicas da Pixie Lott (embora isso tenha me ganhado de cara!) – as músicas são ótimas, fazem mesmo o clima do filme!

Sabe, pode não ser digno do Oscar, mas eu AMEI o filme! Sim, sou bem bobinha em relação a filmes de romance, me emociono fácil e fico super sensível com historias de amor que parecem ter tudo parar dar errado e acabam dando certo e as pessoas ficam melhores por amar. Se você quiser um filme fofinho e emocionante, vai fundo. Só não espere encontrar uma grande revolução cinematográfica, porque isso não acontecerá! Mas você pode aproveitar uma bela trilha sonora e uma cenografia muito linda também ^^

PS: Devido a problemas de natureza maior esse domingo não haverá caixinha de correio! Agora só no fim do mês, galera! Torçam por mim! Bom domingo ^^

Resultado da Promoção Férias de Verão

Bom dia, bom domingo! 
Depois de uma semana, finalmente o resultado da incrível promoção Férias de Verão está pronto. Obrigada a todos que participaram e aguardem as próximas promoções do blog!

1ª ganhadora:

2º ganhador:
3ª ganhadora:


4ª ganhadora:

Os ganhadores serão contatados por email. Respondam em 3 dias para não perderem direito ao premio!

Eu Li: A Ovelha e o Dragão: Os Escolhidos

Raquel, 23 anos, é recém-formada na faculdade de jornalismo, trabalha num jornal, é filha de pastor e sempre levou a vida seguindo os costumes da religião. Ela namora um rapaz da igreja, Felipe, por um sistema de corte (muito interessante, onde os namorados não podem nem abraçar, nem beijar!) e eles estão prestes a noivar. Toda a comunidade da igreja os vê como sucessores dos pais dela, já que Felipe também é pastor em formação. 

Já Cristiano é um jovem acostumado a ter tudo na vida. Desde pequeno, sempre teve grande capacidade de persuasão. Ele é filho de ex-senador e aos 25 anos, depois de passar boa parte da vida em Brasília, voltou a João Pessoa com os pais para investirem em negócios imobiliários. Acontece que o pai de Cris (esse ex-politico) faz parte de uma igreja barra-pesada que prega exatamente o contrário de 'fé-em-Deus'. Sim, é uma igreja do-mal. Cris trabalha na parte administrativa da empresa do pai e eles estão às voltas com a construção de um grande resort

Para que o negocio dê certo, o pai dele o leva para essa igreja e eles fazem um pacto e é a partir daí que o caminho dos nossos dois protagonistas se cruzam. A missão de Cristiano é ir para a igreja de Raquel, se passar por um dos irmãos, seduzi-la, estragar o noivado, desestruturar a família dela e assim acabar com o espírito de comunidade de todos por lá – fazendo assim a igreja se dissolver e os fiéis se afastarem. Mas o que ele não esperava (nem ela) era que, assim que se vissem, algo mudasse dentro deles e uma coisa maior que um pacto os unisse. Eles são atraídos um pelo outro e não sabem como lidar com isso. É interessante acompanhar a angustia de Raquel, porque ela sempre foi uma boa moça e quando percebe que está sentindo algo por uma pessoa que não é seu namorado, fica triste, achando que está magoando a Deus e toda família. E Cristiano por outro lado, logo percebe que não importa a missão que ele tem, ele simplesmente não pode fazer nada de mal para Raquel, ele não quer magoá-la, só quer ficar com ela. 
Epa! Já não gostei dessa parte. Comecei a analisar toda a nossa trajetória... Quer dizer que a Raquel só ficou abalada por causa dos encantamentos? E todo o meu investimento de poder e sedução, ficavam  onde nessa história? Até um satanista como eu tinha princípios... Conquistar uma mulher pelos próprios méritos era um principio sagrado para mim.
#euri
A temática do livro é até recorrente (um amor proibido, impossível), mas a forma de desenvolvimento do enredo é um diferencial. A autora soube desenvolver a historia de forma que não a tornou cansativa e a narrativa é intercalada entre Raquel e Cristiano. Eu gostei de acompanhar a visão de cada um deles sobre os acontecimentos - quando eles estão juntos, vemos as diferentes perspectivas e quando estão separados (já que eles tem vidas bem distintas) conseguimos acompanhar o que eles fazem, entendendo assim, porque tomam certas decisões e o que os levou àquilo. 

Eu me diverti com as partes narradas pelo Cris porque ele é tão desprovido de crenças/fé e fala umas coisas tão peculiares (eufemismo para MALUCAS) sobre o assunto que só rindo! Ele é cínico demais em relação a essa questão da fé em Deus e isso é engraçado (até lembra algumas pessoas), para não dizer preocupante

Alias, sobre o romance entre os dois, devo dizer que é lindo justamente por ser sutil. Raquel é da igreja (ela não beija nem o namorado, gente!) e Cris é da pá-virada ao se apaixonar está disposto a mudar e acho que essa é a ideia mais legal da história. A ideia de que o amor transforma e cura e que podemos mudar por amor (ui, como to piegas). Mas isso foi realmente o que me encantou. Cris é um personagem que claramente está cavando uma cova e o fato de ele tentar se redimir por gostar da Raquel é uma coisa bonita, faz ter fé na humanidade.
A partir do momento em que conheci o amor, ele passou a ser sagrado, e não se joga sujo com algo que é sagrado.
O único problema do livro está justamente no fim: não existe! O livro faz parte de uma trilogia (por enquanto) e o 2º volume está previsto somente para julho. Eu sabia que pelo andamento da história, coisa boa não ia gerar! Os momentos finais até abrem um leque de esperança, mas no fim, fica claro que muitas águas ainda irão rolar e Cristiano e Raquel terão que enfrentar muita coisa se quiserem ficar juntos. 

Vale lembrar que o livro é direcionado ao público evangélico e a temática é bem forte, mas mesmo que você não acredite em nada disso, ou não tenha religião, nada te impede de apreciar a historia. Só recomendo que vocês tenham a mente aberta e não fiquem apavorados com o que leem porque tem algumas coisas bem fortes (MESMO!) E nós sabemos que coisa difícil de se discutir é política e religião e esse livro mexe exatamente com isso, então se você for ler cheio de julgamentos, pode não entender. Realmente acho o livro muito digno de se ler – ainda mais por ser absolutamente diferente de tudo que você está acostumado a encontrar por aí – mas você precisa estar com a mente aberta para entender as questões envolvidas e não se ofender! 

De todo modo, mesmo que você leia sem pensar na questão religião, é interessante porque devido aos assuntos tratados, o livro parece ter uma pitada de sobrenatural e a trama realmente te envolve. É um livro forte e que você tem grandes chances de amar ou odiar. Se você não conseguir se despir dessas coisas que citei, melhor não arriscar para depois não chamar o livro de péssimo só porque ele não tem nada a ver com sua realidade - porque ele realmente não tem! Mas quem liga? Crepúsculo não tem relação com a realidade de ninguém e #todosamam.

Comentem! Talvez role um sorteio do livro por aqui.


PS: Site da escritora.

Projeto 52x5: Semana #6

Olá, essa semana me deu trabalho porque se tem uma coisa que eu gosto de imaginar é 'se eu tivesse superpoderes, quais seriam?' Vivo me perguntando que X-Men eu seria.... Há


Semana 6: Os super poderes que eu gostaria de ter se fosse um super herói seriam:
5 - invisibilidade
4 - ouvir pensamentos, comunicação por pensamentos e mover coisas com a mente (vale por um só!)
3 - superforça
2 - voar!
1 - controlar o fogo (sempre tive algo com Pyro)

Eu Li: Silêncio (Silence)

Depois de 10 meses após ler Crescendo, pegar esse livro foi difícil. Não achei que seria complicado, mas o livro começa com aquele prólogo bem confuso, já tradicional na série. Porém, dos 3 livros, esse tem o prólogo mais 'entendível' (sim, gosto de criar palavras), uma vez que já temos uma ideia do que aconteceu ao final do livro anterior. O problema começa mesmo quando Nora volta a narrar...

PS: a resenha pode ter spoilers sobre os livros anteriores.
Sussurro - Crescendo

A garota ficou sumida por 11 semanas e apareceu do nada, em um lugar estranho. Pra piorar tudo, ela perdeu a memória dos 5 meses anteriores. Resumo: nossa narradora não lembra boa parte do que importa e nós ficamos naquela corda-bamba tentando entender o que acontece/aconteceu. 

Fiquei incomodada com o início do livro e muito irritada com a mãe da Nora, o Patch e a própria Nora. Na verdade, a entendo porque a coitada é a vitima do que estava acontecendo, mas ela teve algumas atitudes muito idiotas e não gostei de como ela agiu. Me lembrou outra mocinha muito criticada (Bella - mas sempre achei as atitudes da Bella muito justificáveis o/), mas a Nora me irritou porque ela nem esperou pra saber o que estava acontecendo e já estava lá apontando um canhão e acusando Deus e o mundo de estar escondendo algo dela. Ok, se eu acordasse e tivesse perdido 5 meses de vida, também estaria soltando acusações pra qualquer um que aparecesse!

Mas Patch também não foi aquela maravilha que eu esperava. Sim, ele continua moreno, alto, bonito e sensual (♫ a solução dos meus problemas...), mas o início do livro é tão, tão misterioso e Patch age por caminhos tão imprevisíveis e complicados, que eu fiquei chateada por ele não ter sido claro desde o principio - já que minha memória estava totalmente break, para juntar os fatos sozinha! Juro que quase tive medo de me decepcionar com o rumo dessa história porque achei o inicio angustiantemente irritante!
– Como entrou aqui?
– Eu ajo de maneiras misteriosas.
 Deus age de maneiras misteriosas. Você age como um raio - um momento está em um lugar, no outro, sumiu. Há quanto tempo está aí?
Quem eu gostei mesmo foi Vee, que para mim continua sendo uma amiga muito boa e que ta sempre disposta a ajudar Nora! Além disso, ela é a responsável pelas partes cômicas da historia e eu precisava de um pouco da leveza dessa maluca, porque o livro é... Sabe o nome Silêncio? É perfeito! Porque é um livro onde nós não sabemos bem o que esta acontecendo e a falta de comunicação entre as partes envolvidas é de matar

Esse livro me causou diversas sensações e nem todas eu gostei! Comecei mesmo a curtir a leitura lá pelo capitulo 15, que é quando as coisas começam a se esclarecer e a Nora (a narradora) começa a entender o que está se passando e, consequentemente, começamos a entender o-que-se-passou. Um personagem que eu não gostava muito no livro anterior, voltou e eu quase mudei de team (porque Patch estava me dando nos nervos!), mas concluindo a leitura - e Becca adora deixar umas pontas soltas para nós criarmos conspirações - não sei o que pensar dele!
– Então. - ela continuou falando, aproximando-se de mim com um jeito conspirador –, conte-me sobre ontem a noite. Que show de horrores foi aquele? Não acredito que sua mãe está com o tiozão.
Levantei as sobrancelhas.
– Tiozão?
– Nós temos que chamá-lo por esse apelido. É tão preciso que chega a doer.
– Acho que devíamos chamá-lo de garotão.
– É isso que estou dizendo! - Ela dá um tapa na mesa. – Quantos anos acha que ele tem? Vinte e cinco? [...]
Vee é ♥
Passado esses pormenores, gostei bastante da leitura! É um livro onde muitas coisas são reveladas e há explicação para a maioria das coisas que estávamos curiosos desde o inicio da série. Acho que a Becca soube amarrar bem a história e os acontecimentos depois que a ação começa nos deixam ansiosos. Ah, nesse livro também vemos um pouco de romance - ao menos depois que tudo começa a se esclarecer entre os protagonistas. E era nas partes de romance que eu suspirava e conseguia me livrar da tensão que essa leitura provocou.
– Pode me ensinar?
– Se for te ensinar tudo que eu sei, vamos ter que passar muito tempo sozinhos.
Sem saber se ele estava sugerindo alguma coisa, respondi:
– Tenho certeza de que podemos manter tudo isso num nível... profissional.
– Fale por você - ele disse no mesmo tom firme e sério, sem revelar suas verdadeiras intenções.
Nora, se fazendo de rogada... Jura que você não imagina as intenções dele, fofa?
Mas novamente, Becca insiste em terminar o livro naquele ponto crítico, quando nós esperamos virar a página e encontrar a resolução – que não está lá! Gostei do gancho que ela deixou para o próximo, embora eu tenha um pensamento muito próximo ao da Nora - de que talvez isso não precisasse ir-por-esse-caminho! Então, espero muito mais ação no último volume da saga, porque novamente estou curiosa pelo que acontecerá.

Eu Li: A Fera (Beastly)

A Fera é uma releitura do nosso clássico 'A Bela e a Fera' (acho que todos conhecem ao menos a versão animada da Disney) escrito pela Alex Flinn. Nessa releitura moderna, nosso príncipe é um carinha mimado, arrogante e que acha que beleza é tudo na vida e nossa mocinha é uma garota pobre, filha de pai viciado e que conta com sua inteligência para conseguir sair da condição que se encontra.

Kyle é um personagem extremamente detestável no início do livro. Sabe aquele personagem que é tão seguro de si e tem o rei na barriga, mas na verdade que só fala besteira? É ele! O achei completamente ridículo e o tipo certo pra se jogar uma maldição! Linda, a mocinha é uma personagem que eu também não curti muito assim que a conheci porque a achei um pouco metida, mesmo em toda sua bondade. Ela fazia parecer que se achava boa demais, só por ser uma boa pessoa, sabe?
- Eu amo você, Kyle. - riu ela. - Você é tão mau.
- Mau e genial, você quer dizer. - ri com aquele riso louco dos vilões de desenhos animados.
# adoooro! Muahahahahah 
Como uma releitura de um conto de fadas, o livro tem também a bruxa má que joga o feitiço no mocinho cara arrogante-e-mala. Tudo começa porque na escola, Kyle conhece essa garota chamada Kendra, que é uma 'excluída' (ah, as panelinhas) por ser diferente. Ela tem os cabelos verdes, só usa roupas pretas e é gordinha. Ele a chama para o baile da escola e chegando lá, humilha a garota publicamente. E é por isso que ela o faz se transformar numa criatura tão feia por fora, quanto é por dentro.

Aí sim nosso protagonista começa a melhorar – ao poucos – como ser humano. Eu achei muito interessante como a Alex fez tudo isso acontecer em plena Nova York dos dias atuais e mesmo assim tornou as coisas tão 'possíveis'. Como o pai de Kyle é um famoso âncora de jornal e não quer ser associado a estranha 'doença' do filho – mesmo depois de eles procurarem a cura com todo tipo de especialista – ele compra uma enorme casa no Brooklyn e joga o menino lá, juntamente com a empregada da família, Magda. Kyle também pede um professor particular, já que ele não tem muito o que fazer e não pode sair de casa e então conhecemos Will, que é um cara muito perspicaz apesar de cego (os que não enxergam são os que vêem melhor!).

O prazo para ele encontrar alguém que o ame, mesmo nessas condições de Fera é de dois anos e eu também gostei como o tempo passou. Alex teve o timing perfeito, ela não apressou as coisas nem deixou o marasmo abater e o livro tem um ritmo muito bom! Eu não costumo ler rapidamente, mas esse livro teve uma leitura tão fácil que me impressionei. É difícil eu ler algo narrado por MENINO em 1ª pessoa e achei que a autora foi muito bem sucedida nesse aspecto.
Pra começar, eu tenho pelos no corpo inteiro. Pelos grossos que nem os de um cachorro. Também tenho caninos e garras. Esse é o lado ruim. O bom é que parece que sou feito de Teflon. Se me cortar, saro imediatamente. Poderia ser um super-herói se não fosse pelo fato de que, se eu tentasse resgatar uma pessoa de um prédio em chamas, ela olharia pra mim e sairia correndo e gritando no meio do fogo.
E ele ainda é engraçadinho!
Como o clássico da Disney, as coisas acontecem de forma (totalmente plausível, acredite) que Linda acaba indo morar com Kyle. A principio ela o odeia, é claro, porque ele tipo a mantém presa e longe do pai, mas depois os dois desenvolvem uma amizade que é a coisa mais fofa. E Kyle começa a notar coisas que antes ele não dava atenção. Ele realmente se torna uma pessoa melhor e isso é o mais importante.

Teve vários momentos do livro que eu relacionei com o desenho da Disney e outras coisas são baseadas em outros contos (mais tradicionais, porque sabemos que a Disney sempre faz algo mais leve). O final da historia foi uma grande surpresa porque embora nós saibamos o final tradicional, a forma como acontece no livro é muito diferente e além disso, uma coisa que eu nem cogitei acontece e eu achei genial!

Ao final, tem uma nota da autora onde ela explica porque decidiu escrever esse conto moderno e eu achei extremamente explicativo (até porque eu não conheço muitas versões dessa historia) e é uma coisa que realmente nos faz pensar! Então, super recomendo que todos leiam essa história e se deliciem com esse conto moderno, fofo e que ainda traz aquela velha lição que o 'amor é a solução' e que 'as aparências não são mais importante que caráter'.
... Geralmente ficava vendo Linda ler. Não podia acreditar que ela lesse tanto no verão! Às vezes ela ria, lendo os livros, e uma vez até chorou. Não sabia como alguém podia ligar tanto para livros.
Tive que colocar isso aqui, porque achei muita graça desse pensamento dele!
Alguém quer resenha do filme??

Projeto 52x5: Semana #5


Semana 5: Fazem parte da minha wishlist:
5 - Livros...
4 - DVDs e temporadas de séries em DVD.
3 - Conhecer London, baby!
2 - Terminar de escrever um livro sozinha.
1 - Fazer algo grandioso!

Spotlight on: Novo Conceito, Planeta e Intrínseca

As editoras parceiras estão cheias de novidades e estão me fazendo delirar com tanto lançamento bom! Assim todas me matam!! Ah, agora o blog é parceiro da Planeta! Obrigada a todos pelo apoio ^^

A Novo Conceito, essa editora queridona, está com lançamentos incríveis! Fiz até uma dancinha da felicidade ao saber da noticia! Em março a editora lançará o livro que deu origem ao filme de mesmo nome: Para Sempre! Devo dizer que eu já estava riscando os dias do meu calendário para ver o filme e estava em duvida se tinha ou não livro! E eis que a NC anunciou que não só tem o livro, mas ele já está em produção! O livro é baseado na história real dos autores, ou seja, não é ficção!

Sinopse: A vida que Kim e Krickitt Carpenter conheciam mudou completamente no dia 24 de novembro de 1993, dois meses após o seu casamento, quando a traseira do seu carro foi atingida por uma caminhonete que transitava em alta velocidade. Um ferimento sério na cabeça deixou Krickitt em coma por várias semanas. Quando finalmente despertou, parte da sua memória estava comprometida e ela não conseguia se lembrar de seu marido. Ela não fazia a menor ideia de quem ele era. Essencialmente, a "Krickitt" com quem Kim havia se casado morreu no acidente, e naquele momento ele precisava reconquistar a mulher que amava.
O livro deve sair na primeira quinzena de março (é, falta séculos!) e o filme sairá no final do mesmo mês! Quem está contando os dias?

Também sairá em breve o livro Presentes da Vida, que é a continuação de O Noivo da Minha Melhor Amiga (que foi lançado por outra editora, que coisa, não?), da Emily-fofa-Giffin. Eu não li o Noivo, mas o livro é uma continuação 'independente' então, todos poderemos ler independente do primeiro! 


Sinopse: Darcy Rhone sempre teve todos os homens aos seus pés. Tinha um emprego glamouroso, um seleto círculo de amizades e um noivo perfeito, Dexter Thaler. No entanto, tudo mudou quando Darcy se envolveu com o melhor amigo de seu noivo... Seu noivado acabou e perdeu sua melhor amiga, Rachel.
Incapaz de assumir responsabilidades e de enfrentar todo esse mal-estar, Darcy foge para Londres, para a casa de um amigo de infância, imaginando que poderia passar uma borracha em tudo isso. Mas, para seu desânimo, Londres se torna um mundo estranho, onde seus truques de sedução não mais funcionam e onde sua sorte parece ter se evaporado. Sem amigos nem família, Darcy precisa dar novo rumo à sua vida e, assim, começa uma linda trajetória rumo ao crescimento e ao amor.

A Planeta está prestes a lançar Carolina Se Apaixona do meu escritor italiano favorito (ok, é o único italiano que eu já li!) Federico Moccia [escrevo o nome dele e tenho vontade de tomar café]! Fiquei super animada para ler porque sei que Fed escreve como ninguém.. E essa protagonista parece mais nova entre as que ele já escreveu! Sabe, acho incrível que ele escreve na visão de uma adolescente tão bem!


Sinopse: Carolina é como as outras meninas da sua idade. Alegre e otimista tem sempre as amigas por perto e com elas divide seus dias, seus sonhos, a escola, as provas, as festas e a família.
E há os primeiros beijos roubados no escurinho do portão. e sempre tem a música que surge no momento certo. Mas ela se pergunta: E amor? Como é o amor verdadeiro?
Quando conhece Massimiliano parece que terá as respostas para estas perguntas, mas o que ela não sabe é que o amor também pode trazer tristeza.
Carolina se apaixona é uma viagem pelos sentimentos, uma historia sobre o primeiro amor, a primeira desilusão e as infinitas faces do amor.
Eu achei tudo lindo! Gostei bastante da capa que a editora fez (amo capa com gente, ainda mais casal) mas também acho que o estilo da capa da versão em catalão e da capa espanhola eram lindos (me lembra aquele clipe da Fergie, Clumsy)

A editora também está lançando um livro que eu imagino que seja mega divertido (e me lembra outros livros estilo diário-de-alguém), O Diário de Dan. Parece bem irônico e eu adoro leituras assim!

Sinopse: Para Dan, tudo é um problema: seu novo professor é um extraterrestre, o seu melhor amigo Max é o típico nerd, arrumadinho e pouco popular na escola. Seu irmão tem umas ideias pouco convencionais e até sua mãe manda bolo de frutas no dia de seu aniversário para a escola, enquanto todos os colegas esperam pelo bolo de chocolate. Pobre Dan, acha que todos estão contra ele.
Mas nem tudo é sofrimento. Com grande senso de humor, Dan escreve em seu diário os seus erros, os problemas, as tentativas de ser aceito pelos colegas ou se tornar popular na escola e outras histórias;O relatos diários contam também histórias engraçadas como o dia em que passou a receber bilhetede uma suposta admiradora secreta.
A Intrínseca lançou um livro super hypado lá no exterior, que foi vencedor de vários prêmios, A Visita Cruel do Tempo. A autora, Jennifer Egan já publicou 5 livros, é colaboradora da New York Times Magazine, e foi eleita este ano uma das 100 pessoas mais influentes do mundo pela revista Time.


Sinopse: Bennie Salazar é um executivo da indústria musical. Ex-integrante de uma banda de punk, ele foi o responsável pela descoberta e pelo sucesso dos Conduits, cujo guitarrista, Bosco, fazia com que Iggy Pop parecesse tranquilo no palco. Jules Jones é um repórter de celebridades preso por atacar uma atriz durante uma entrevista e vê na última — e suicida — turnê de Bosco a oportunidade de reerguer a própria carreira. Jules é irmão de Stephanie, casada com Bennie, que teve como mentor Lou, um produtor musical viciado em cocaína e em garotinhas. Sasha é a assistente cleptomaníaca de Bennie, e seu passado desregrado e seu futuro estruturado parecem tão desconexos quanto as tramas dos muitos personagens que compõem esta história sobre música, sobrevivência e a suscetibilidade humana sob as garras do tempo.
Eu gosto muito do nome desse livro, mas não sei se ele faz meu estilo de leitura então estou esperando algumas resenhas saírem para saber o que eu farei a respeito: read or not to read: this is the question.