Eu Li: O Substituto (The Understudy)

Assim que eu soube do lançamento de outro livro do David Nicholls fiquei em polvorosa (u-hul). Todos estão cansados de saber que Um Dia é tipo o amor e sofrimento em forma de livro e eu amei a forma que o David conta suas histórias – vejam, ele me cativou totalmente escrevendo em 3ª pessoa! Então eu não quis perder tempo para ler (como eu fiz com Resposta Certa que até HOJE está esperando na minha estante). Eu li o 1º capitulo disponibilizado pela Intrínseca e achei tão legal que queria saber como continuava.

Stephen C. McQueen é um ator londrino que não tem muitas oportunidades na carreira, então, embora esteja no ramo desde a faculdade, suas atuações não foram muito mais longe que personagens ‘defuntos’ em séries policiais ou até, fantasiado de esquilo cantando em um DVD infantil. Bem, isso foi antes de conseguir papel como substituto do grande Josh Harper - sucesso absoluto, ator queridinho que tem tudo para bombar em Hollywood - em uma peça de bastante sucesso. Desde então, Steve aguarda sua ‘grande chance’ quando poderá substituir Josh e mostrar a todos seu talento. Bem, isso se algo impossibilitar Josh de comparecer, pois cara além da saúde de ferro, não larga mão do trabalho.

Ok, lendo minha pequena sinopse, você pode até pensar que Steve começa a elaborar um plano maléfico para fazer Josh sofrer um acidente e ter sua chance, mas não é isso que acontece, ora pois. Acontece que num desses estranhos acasos da vida, Steve acaba conhecendo a esposa de Josh, Nora e eles acabam se tornando amigos - pelo menos é o que Nora acha, mas a verdade é que Steve acaba se apaixonando por ela. Isso nem é um grande conflito moral pra ele, já que Josh não é o que ele pode chamar de 'amigo', o problema é que ele não pode simplesmente contar a ela que está interessado.
[Josh] – Diga... Como está a minha garota favorita?
[Nora] – Não sei, Josh... Quem é a sua garota favorita?
[Josh] – É você, claro. Ei, você não me viu cortando o bolo. 
A forma que a história é contada é muito interessante. O narrador acompanha a vida de Steve, obviamente, mas também gostei que é intercalado com algumas partes de 'roteiros' das atuações que Steve faz. E também não é só o romance - na verdade, o romance é apenas um coadjuvante no enredo. O grande lance do livro são as frustrações da vida de Stephen. O cara ama o que faz, mas obviamente vive frustrado por não ter uma chance (o que acarreta não só uma baixa auto-estima como também a falta de dinheiro). Além disso, Stev tem uma filhinha pequena, do casamento malsucedido, que é uma criança muito astuciosa! Eu adoro essas crianças que apesar da pouca idade conseguem ser tão perceptivas! Sophie é uma das personagens mais legais, mesmo quando ela faz bullying com o pai.
Precisava convencê-la de que tinha qualidades muito, muito mais desejáveis do que dinheiro, sucesso, viagens, status, carisma, uma imensa autoconfiança, charme, glamour, popularidade, virtuosismo sexual ou beleza física. Qualidades como...
O nome do filme? Missão Impossível! Huhuhu #EvellynMaligna
O que muito me agrada sobre a forma que David escreve é que ele consegue passar MUITA informação, mas de uma forma que aquilo não se torna descartável ou desinteressante, pelo contrário. Claro que as vezes você ta lendo aqueles detalhes e pensa ‘what-the-hell, pra que saber da dobrinha do pescoço quando ela se virou pra ele?’ mas a questão é que David faz com que isso passe sem que a gente ache desnecessário e eu acho que tudo que está escrito acaba servindo pra alguma coisa (mesmo que seja aumentar minha lista Sheldiônica (aquelas coisas que talvez eu nunca vá falar com alguém ou ter alguma utilidade prática, mas acho legal saber). O fato é que David escreve algumas respostas tão legais a algumas perguntas, que eu fiz uma lista só pra quando me perguntarem eu responder da mesma  forma, tão perspicaz.
– E aí... você está saindo com alguém?
– Não mesmo.
– Mas você  não se sente um pouco...?
– Não muito. Eu leio bastante, assisto a um monte de filmes, tenho TV de banda larga, a cabo [...]. Sou uma espécie de monge cercado de alta tecnologia. Na verdade, é bem divertido.
Essa é a resposta que eu precisava ter em mente! Embora eu meio que já diga a primeira parte...
Como era de sua natureza, de inicio Nora mostrou-se cética. Não gostava muito de ingleses [...]. Não gostava da atitude superior, da convicção complacente de que só o fato de ser inglês era algo notável, como se Shakespeare e os Beatles já tivesse feito o trabalho. E não, Nora não gostava do sotaque, que para ela sempre soava nasalado, falso e quebradiço.
Como podem perceber, Nora é LOUCA. COMO não amar tudo isso nos ingleses?? O.o
É um livro realmente delicioso de se ler. Eu, que só o lia nas-madrugadas, nem vi o tempo passar! Vemos situações cômicas, trágicas e tudo de uma forma muito 'real'.  Steve é um personagem numa fase bem crítica e achei que a abordagem da vida dele, que poderia ser totalmente deprimente, foi bem leve, com momentos mais ou menos intensos. Acho que esse livro tem bem o estilo comédia romântica, com uma boa dose de ironia. Eu também veria uma adaptação desse nas telonas! Não sei por que, mas o Steve me lembra um pouco o Alan Harper (a parte da frustração). AH, e eu sempre comento o final. Juro, leio David já esperando que alguma reviravolta louca e injustificável vai acontecer e me deixar sem dormir por conta de como as coisas ficaram e dessa vez não foi diferente. Ainda me pergunto o que aconteceu... Mas por isso e tantos outros motivos, o livro é ótimo. Leiam!

8 comentários:

  1. Como ainda não li nada do autor, não escondo o desejo de ler, mas quero começar por Um Dia.

    bjs,
    Camila Márcia
    @camila_marcia
    De Livro em Livro
    Devaneios Fugazes

    ResponderExcluir
  2. Tem um selino para ti com uma mini tag no meu blog :)
    http://fofocas-literarias.blogspot.pt/2013/08/tag-versatile-blogger-award.html

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Hey Evelly \o/ hahahhaha Adoro vir aqui e te saudar assim *.*

    Ah eu sou a unica alma no mundo que ainda não leu e nem viu o filme de Um dia, pois é, mas já li tantos comentários ótimos que imagino o quão talentoso o autor seja.

    Lendo sua sinopse eu já estava MESMO imaginando que o cara ia fazer de tudo pra assumir o lugar do outro ator, mas não é que tem romance no negocio? rsrs Que gostoso, a trama parece ser bem envolvente e engraçada, eu também adoro essas crianças metidas a espertinhas, elas sempre sabem mais do que devem, rsrs u.u

    Fiquei curiosa, será que esse eu leio antes de Um dia? hahaha

    Beijos

    Pah, Livros & Fuxicos

    ResponderExcluir
  5. Oi flor,
    Primeiro quero agradecer o mimo que se mandou so tive tempo de vir aqui hoje agradecer porque estou em fase de construção ai você já

    viu toda a bagunça ne???rsrs...amei amei...e assim que puder te retribuo sabes ne? Sobre a resenha li somente Um dia do autor e achei

    muito interessante esse parece ter uma historia bem diferente e peculiar gostei de saber sobre ela quem sabe eu vá atras para ler.Te

    espero la no Leitura.
    Bjss
    Raquel Machado
    Leitura Kriativa
    http://leiturakriativa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Me pareceu interessante. Eu nunca li nada do autor,mas talvez eu leria esse se eu o tivesse em mão, mas não sei.

    ResponderExcluir
  7. Eita eu não sabia que esse livro era assim! :O
    Quero tanto conhecer a Nora! :D
    adorei sua resenha!

    beijos.
    http://tamigarotaindecisa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi Eve,
    Eu também amei "Um Dia" e consequentemente fiquei com expectativas muitos altas com relação a todos os livros do David Nicolls desde então. Fiquei feliz em saber que "O Substituto" não foi uma decepção. Fiquei super curiosa para saber quais revivavoltas o autor criou nesse livro.
    Beijos

    ResponderExcluir

- Adoro saber a opinião dos leitores! Deixe seu comentário e eu responderei no seu blog, mas nada de comentários ofensivos hein?