Eu Li: Dias Perfeitos

Dias Perfeitos é um dos lançamentos da Cia das Letras nesse primeiro semestre. O autor é o Raphael Montes e este é o segundo livro que ele publica – o primeiro, Suicidas, saiu por outra editora e eu também tenho MUITA vontade de ler! 

A história é narrada em terceira pessoa, mas a trama segue embalada apenas pelo ponto de vista de Téo, nosso protagonista. Ele é estudante de medicina e mora com a mãe num apartamento em Copacabana. O pai dele morreu num acidente anos antes, e a mãe ficou paraplégica, então basicamente ele só estuda e cuida da mãe – mas ele não se ressente por isso e faz tudo de bom grado. Téo é um cara de poucos nenhum amigo e a vida dele seguia essa rotina entediante até o dia que ele vai a um churrasco – só pra socializar a pedido da mãe – e conhece Clarice. Clarice é totalmente diferente dele, é estudante de artes, classe media alta e roteirista nas horas vagas. Mas eis que em poucos minutos de conversa, Téo se encontra apaixonado por essa garota e com o amor como desculpa, ele traça um plano para conquistá-la #Muahuahauhauau (tem que ter a risada maléfica aqui).
... vê-la chorar de verdade a tornava uma pessoa real. É preciso certa intimidade para chorar na frente do outro. Ele mesmo nunca havia chorado diante de ninguém.
por esse pensamento, sou intima de 76% das pessoas que conheço,
sou a maior chorona...
Ele acaba se aproximando, num golpe de sorte do destino (ou seria estar no lugar certo, na hora certa) e se aproveita de uma situação para fazer Clarice embarcar numa viagem com ele (repare que o texto aqui tem todo um sentido metafórico). Achei a Clarice uma total maluca logo de cara, porque eu uma pessoa sã não seria imprudente a ponto de dar tamanha abertura para aproximação de Téo. Ainda assim, não se pode culpá-la por ter esbarrado e despertado interesse de um cara tão... perturbadoramente estranho.
Estavam atados um ao outro. Ele levaria Clarice consigo para sempre: já não podia viver ou mesmo morrer sem ela.
#medo
Eu realmente adorei a narrativa do livro. Apesar (sempre uso apesar porque vocês sabem meu drama em relação a narrativa externa) de ser em 3ª pessoa, o autor conseguiu exprimir completamente a mente de Téo - em alguns momentos eu tinha certeza que estava na cabeça dele! Narrador-onisciente é outro nível e eu até gosto disso. O enredo tem partes bem angustiantes, primeiro porque os fatos ocorridos não são exatamente fofos e perfeitos (como esse nome maravilho sugere - #amo_essa_ironia) e segundo porque o leitor fica muito próximo de Téo e o cara é assustador... No entanto, essa personalidade tão distinta e apavorante é algo que nos deixa extremamente curiosos. Para mim ficou claro que ele era um psicopata logo nas primeiras páginas, mas acompanhar o desenvolvimento dele enquanto está com Clarice - no inicio é algo introspectivo e com Clarice começa a crescer e aparecer cada vez mais. A trama também tem reviravoltas bem legais e os fatores inesperados (ou quando algo que torcemos finalmente acontece) movimentam muito bem e dinamizam a leitura.

Li o livro em dois dias - primeiro até quase a página 100 e depois tive que ler tudo de uma vez porque chega uma hora que você só precisa terminar logo e ver se como aquilo vai terminar. Teve um momento do livro em que criei uma teoria e pensei 'já sei o final' (muohohohoh #risadinhadoKiko) mas foi bom saber que eu estava errada e a história foi finalizada de uma forma bem inesperada - e isso é ótimo e ao mesmo tempo nauseante - acho que o livro todo tem partes assim, do tipo que você quase chora por tamanha frieza. Téo seria um personagem digno de pena - porque ele realmente parece acreditar que existe uma chance de Clarice sentir o mesmo por ele - se ele não cometesse alguns atos tão desprezíveis. Eu tentei, mas não dá pra justificar os atos dele. Ele começa parecendo um maluco iludido e então só vai piorando e mostrando que não é louco pois sabe exatamente o que faz - e não se arrepende!
Téo concluiu que ela o desprezava porque intimidade gera desprezo. Não fazia por maldade, mas para descontar a raiva acumulada. A raiva é o pior sentimento em uma relação.
Eu terminei a leitura desse livro há aproximadamente uma semana, e estou até agora inconformada com a maneira (espetacular) e incrivelmente desesperadora que o Raphael Montes decidiu finalizar o livro. Mas não entendam isso da forma errada: eu absolutamente recomendo a leitura, tanto se você não está acostumado com o gênero (thriller psicológico) quanto pra quem adora um suspense e está acostumado! O mais incrível sobre este livro é que você termina a leitura mas ela não sai de você. Estou certa que ainda vou ficar com esse caroço na garganta por tempo, e só de lembrar dos acontecimentos tenho vontade de chorar (e rir, porque depois de ler Dias Perfeitos a gente não fica muito bem da cabeça... Ou talvez eu seja sempre assim)... Raphael não está fazendo esse sucesso todo a toa  e embora eu sempre tivesse depositado muita fé em seu trabalho – mesmo sem ter lido uma obra inteira (eu amei o livreto de Suicidas) – agora eu posso dizer que ele se tornou um daqueles escritores que eu vou querer ler tudo que escreve – porque é interessante, porque é bom, porque é surpreendente, porque é assustador. Leia! E depois venha conversar comigo porque preciso de mais gente indignada!

Promoção

Pra ajudar a criar mais gente indignada, o blog, em parceria com a Companhia das Letras, irá sortear um exemplar do livro!! É só participar pelo formulário abaixo, de acordo com as opções que melhor lhe convém!

9 comentários:

  1. Eu, assim como você, tenho um certo problema com narrativas em terceira pessoa ><" e só de saber que você tem a mesma "dificuldade" que eu e gostou da narrativa, já é um ponto muito a favor pra esse livro! Adorei saber que o final é surpreendente, portanto, vou ler e, assim que estiver indignada, eu volto pra comentar sobre isso kkkkk

    Excelente resenha ^^

    Beijos!
    @PollyanaCampos
    Entre Livros e Personagens

    ResponderExcluir
  2. Eu acabei de ler ontem. De primeira eu não queria acabar de ler, não pelo livro ser ruim, justamente pelo contrário: o livro é tão bom que entrar na cabeça do Téo (como você mesma disse) começou a me assustar. A curiosidade foi maior, acabei de ler e, sinceramente, tá na lista dos meus preferidos e recomendados. Amei sua resenha (:
    Beijos rimados pra você :*
    http://li-tt-lewings.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Estou com esse livro aqui na minha escrivaninha para ler assim que possível. Adoro thriller psicológico e só tenho lido resenhas MUITO animadoras em relação ao livro! Superanimada para começar a leitura! =)

    Beijinhos, Livro Lab

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Oi adorei.. muito obrigado, amei a maneira que vc usou para descrever essa resenha...me fez se interessar pelo livro....mas vc já leu o livro reverso escrito pelo autor Darlei... se trata de um livro arrebatador...ele coloca em cheque os maiores dogmas religiosos de todos os tempos.....e ainda inverte de forma brutal as teorias cientificas usando dilemas fantásticos; Além de revelar verdades sobre Jesus jamais mencionados na história.....acesse o link da livraria cultura e digite reverso...a capa do livro é linda
    www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?

    ResponderExcluir
  7. é muito curiosidade sobre o livro com todo mundo falando dele assim, meio que me sinto excluída, parece ser muito bom, meio que uma ficção com um pouco de realidade, incrível

    ResponderExcluir
  8. Até agora ainda não tinha tido a curiosidade de ler nenhuma resenha sobre esse livro, mas então li e fiquei super interessada :)
    www.fofocas-literarias.blogspot.pt

    ResponderExcluir
  9. Oi Eve,

    Nossa, quando li sua resenha não fazia ideia do que se tratava esse livro, mesmo com todo o sucesso que ele esta fazendo ultimamente. Logo de cara, pelo título "Dias Perfeitos" achei se tratar de um romance. Então, descubro que trata-se de um mega thriller bem ao estilo Stephen King. Que medo! Gosto muito desse gênero, embora eu ache que é preciso moderação e uma dose extra de coragem para consumí-lo de uma vez só. Enfim, amei a resenha!
    Beijos

    ResponderExcluir

- Adoro saber a opinião dos leitores! Deixe seu comentário e eu responderei no seu blog, mas nada de comentários ofensivos hein?