Eu Li: Jogo de Espelhos (Mirror, Mirror)

Jogo de Espelhos é o livro de estreia de Cara Delevingne - a modelo, atriz, empresaria - e eu fiquei interessada em ler não pela Cara - nada contra, mas nunca fui com a cara (!) e só piorou depois que ela deu vida a personagem mais odiada de todos os tempos: MRS - mas porque tem a colaboração de Rowan Coleman, uma autora bem famosa lá fora e com livros que me interessam. A sinopse também me ganhou porque é um livro com adolescentes e música e meu lado HSM/Lemonade Mouth fangirl gritou! Sabendo disso, pedi a editora Intrínseca o livro para ler e resenhar e agora vou compartilhar com vocês porque ele livro realmente surpreendeu.

Jogo de Espelhos é narrado por Red, nosso protagonista. Red está no ensino médio e  há um ano viu sua vida mudar depois que se juntou a alguns colegas de classe e formou uma banda, a Mirror Mirror. Acontece que Red, Leo, Rose e Naomi nem eram amigos, mas, forçados a se juntar numa banda para um trabalho, os quatro acabaram gostando do som e formaram a banda. A banda está ficando famosinha pelas redondezas e na escola o status deles se elevou porque eles tem uma banda de rock! então Red estava achando a vida muito boa, mesmo com os problemas que enfrenta em casa. Mas acontece que dois meses antes, Naomi, a baixista da banda e grande amiga de Red - era a dupla compositora - sumiu. Eles procuraram, a policia procurou, mas nada foi encontrado. Então Red e os outros, incentivados pelo professor de música (o responsável pela união da banda), resolvem fazer uma especie de show beneficente para juntar dinheiro e ajudar nas buscas da amiga. Mas então, pouco antes da data para esse show, Nai é encontrada. Ela é levada para o hospital e fica em coma induzido enquanto os médicos avaliam a situação e tentam dar a ela uma nova chance. 
Uma das coisas mais legas na nossa amizade era que não precisávamos saber de todos os segredos. A gente só precisava se entender bem.
gosto assim!
Enquanto isso, Red e a irmã de Nai acabam se envolvendo em uma investigação particular para descobrir o que pode ter acontecido para Naomi sumir por meses. A policia não está levando o caso muito a sério porque eles acreditam que Nai sumiu porque queria - ela tinha histórico de fugas de casa - e mesmo depois que ela reaparece, não existem provas para que a investigação caminhe para outro lado. Mas Red faz algumas descobertas e junto com Ashira, a irmã hacker de Nai, começam a investigar.
Você nunca desiste de mim, nunca me decepciona. Não importa as merdas que eu faça ou diga, e isso é muito especial, você é muito especial para mim, sabe disso, não sabe?
Vou confessar que no inicio do livro tive alguns prolemas com a descrição da trama. Quer dizer, é um livro que já começa 'do meio' e a gente já começa a leitura com muita informação sendo 'jogada'. Mas meu maior problema nem foi essa questão, foi porque achei o inicio especialmente problemático por conta de algumas falas de Red. É como se tivessem pegado todos os clichês sobre adolescentes e jogado na trama, e isso me deixou meio 'Hmmmm', mas segui a leitura, afinal, eu queria saber o que raios tinha acontecido com a integrante desaparecida e encontrada quase morta. Demorei pra engrenar a leitura, porque tive esse probleminhas com algumas coisas no inicio, mas depois resolvi me concentrar e foi aí que a coisa desenvolveu.

Apesar de alguns momentos de Red inicialmente não terem me agradado e não ter gostado muito de alguns clichês adolescentes do ensino médio, acho que no decorrer da história as coisas começam a fazer sentido (dentro da realidade exposta) e aí você consegue relevar aqueles detalhes incômodos. Apesar de não ter amado nenhum dos integrantes da banda, eu até consegui entendê-los. Acho que a personagem que mais gosto no livro é Ashira, porque ela é toda pro-ativa, toda entendida dos sistemas e ela me fazia rir com toda a coisa de ser hacker. 

Mas o grande fator UAU do livro acontece depois da metade. É um dos maiores plot twists que já vi num livro adolescente e eu fiquei realmente impressionada porque é algo muito inesperado! Eu quase tive vontade de reler tudo pra ler com essa nova perspetiva. Achei realmente legal essa virada na trama e ela subiu bem no meu conceito devido a isso! Eu realmente queria que todos os meus amigos estivesse lendo pra conversar com eles sobre o assunto. É inesperado, mas faz sentido e dá um novo olhar sobre tudo que já havíamos lido. Abaixo vou deixar um comentário spoiler sobre uma consideração minha! Selecione e leia apenas se você já tiver lido o livro!

Sério, achei sensacional a revelação sobre Red! Quando li eu quase achei que tinha algum erro porque demorei a acreditar que era aquilo mesmo, mas achei demais. Só acho uma pena que a tradução para o português tenha atrapalhado um pouco o inicio no livro. Notei o cuidado da tradutora em usar o minimo possível do art, definido, mas no nosso idioma é complicado dispor dos mesmos recursos que no inglês - onde os adjetivos não se definem pelo gênero. Então acho que no original, essa sacada fica até mais fácil de entender, já no nosso idioma, fica notável que algumas coisas precisaram soar 'erradas' para que se mantivesse o mistério.
... não sinto medo. Então é para isso que a vodca serve. Ela acaba com todas as suas emoções e deixa você destemido.
Sobre o grande mistério envolvendo o sumiço de Naomi, achei que foi uma trama bem estruturada, até. Não fiquei surpresa com a grande revelação - acho que os anos de CSI e as leituras policiais estão fazendo efeito - mas achei interessante o modo como as coisas foram construídas e explicadas. De fato, não é a coisa mais surpreendente da trama, mas é bem explicadinha e cumpre o papel. Acho que, apesar dessa parte investigativa d livro, o foco da trama é mesmo as relações. Entre as famílias, entre os amigos, como tudo pode ser confuso e complicado nessa fase da vida e como o apoio das pessoas que amamos pode ser o diferencial.

Um livro bem interessante, principalmente pelos temas abordados. Se você já leu, comente e converse comigo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

- Adoro saber a opinião dos leitores! Deixe seu comentário e eu responderei no seu blog, mas nada de comentários ofensivos hein?