Eu Li: O Erro (The Mistake)

Seguimos com a série Amores Improváveis da Elle Kennedy, agora com o segundo livro. Como não comentei isso na resenha anterior, vou registrar aqui que acho esse nome bem aleatório para esta série - que no original chama Off Campus, ou seja, algo mais relacionado à faculdade e o que acontece fora dela, além de outras interpretações. Agora é a vez de acompanharmos a historia de Logan, que é o melhor amigo de Garrett-do-livro-1, e também um dos colegas da república dos boy-magya.

O Erro começa praticamente do ponto em que terminamos O Acordo, ou seja, o final do ano letivo da universidade de Briar. Os meninos estão terminando o penúltimo ano de curso e em breve precisarão lidar com as opções que terão após terminar os estudos. John Logan (sim, Logan é o sobrenome e ele se chama John, mas como tem outro John [o Tucker] na república, eles usam só o sobrenome mesmo) está se sentindo meio merda meio bosta mal porque não tira da cabeça que esta apaixonado por Hannah, a namorada do melhor amigo. E pra conseguir lidar com o casal 20 pela republica e com a sensação de que está sendo um péssimo amigo por desejar a namorada alheia, Logan anda vivendo la vida loka, indo a todas as festas possíveis, bebendo até esquecer e dormindo (bem, dormir é o que ele não faz, na verdade) com a maior quantidade de maria-patins que seja possível. Obviamente, isso não o faz se sentir melhor com toda a situação no momento em que está sóbrio, mas serve como anestesia por algumas horas.

Novamente, o livro é narrado pelos dois protagonistas. Logan, que está nesse mimimi eterno por estar apaixonado pela namorada do amigo, e do outro lado conhecemos Grace Ivers, uma caloura na universidade que está prestes a terminar seu primeiro ano. Grace mora num alojamento da facul e divide o quarto com a melhor amiga de infância, Ramona. Acontece que Grace nunca foi muito proativa em relação a diversão, então ela deixa que a amiga a arraste para as festas da facul e tenta interagir, mas não é muito fácil, uma vez que Grace é meio tagarela quando esta nervosa e sempre acaba falando demais e assustando as pessoas. Esse traço da personalidade de Grace é muito divertido porque ela fala muita coisa aleatória e as referencias nesse livro são sempre muito boas.
Começo todas as conversas nervosa com a possibilidade de passar vergonha e acabo de fato passando, porque sempre fico nervosa. Estou fadada ao fracasso.
O encontro dos dois ocorre numa daquelas inacreditáveis coincidências da vida na literatura, quando Logan sai para uma festa em um alojamento, mas acaba batendo a porta de Grace. E esse primeiro inesperado encontro entre os dois acaba sendo bem bonitinho porque Logan é um dos poucos caras que não-sai-correndo assim que Grace começa a tagarelar. Acaba sendo um encontro um pouco quente também, mas Logan sai de lá meio repentinamente e Grace fica com um grande WHAT? na cabeça.
Confiante e sexy não é o meu estilo. Assumir o controle? Sempre fiquei mais à vontade no banco do carona, enquanto alguém pega a direção.
A vida seguiria normalmente e nossos protagonistas nunca se reencontrariam, mas isso seria se fosse NA VIDA REAL, como estamos falando de um livro de romance, esse casal precisa se reencontrar! Logan acaba fica encucado (é a unica palavra que consigo pensar) porque  apesar de ter rolado uma 3ª base entre eles (saibam que pesquisei quais são as bases só para esta resenha) e ele tenha chegado ao ápice (gente, perdão, é que quero ser delicada) e Grace tenha falado que também chegou (mas ela mentiu), Logan fica com aquela sensação de que algo de errado não está certo e seu ego masculino fica abalado. Então apesar de não ter trocado telefone ou promessas com Grace, Logan decide ir até ela se retratar e fazer o serviço completo (scrr, eu sei que só piora as minhas analogias). Mas  não pense que acabou, não estamos nem em 1/5 do livro, então ainda temos um longo caminho.
Deixar uma menina na vontade não é só embaraçoso. É inaceitavel.
ahhhh
Vou parar com o resumo porque sinto que não vou melhorar muito mais, porque como já ficou bem perceptível, minhas habilidades para escrever sobre o assunto estão bem aquém do necessário. Vou me ater aos pontos principais sobre essa trama que continua nos fazendo conhecer os 4 boys-magyas do hóquei no gelo da Briar.

Como deixei bem claro lá em cima, eu não estava depositando muita fé no drama do Logan sobre estar apaixonado pela Hannah, então achei tudo um mimimi bem pontual só para fazer essa trama ter algumas reviravoltas. Mas é de se elogiar a Elle Kennedy por ter feito da forma que fez, até no livro anterior, porque no final a explicação toda sobre o assunto consegue convencer o leitor. Apesar de eu não ter comprado mesmo essa ideia (rs). Acho que Elle podia ter cortado essa parte sobre a confusão que Logan está sentindo e o faz cometer o erro. Mas aí acho que o erro nem aconteceria e o livro todo é sobre isso, não pé mesmo?
Preciso parar com isso. Desejar Logan está muito perto de gostar dele, e não estou pronta para abrir essa porta ainda. Se é que algum dia vou estar.
Além do romance, que Logan faz logo essa cagada e precisa passar a maior parte do livro se limpando, o livro também desenrola alguns problemas familiares de Loagn e achei essa parte bem interessante porque é algo que o afeta muito - como pessoa - e também explica algumas atitudes dele (não em relação ao romance). Apesar de eu não achar que ele precisava fazer tudo o que faz, acho que ficou coerente com a situação e o desenrolar acaba sendo bem envolvente. Assim como no livro anterior, acho que a Elle tem uma abordagem bem interessante sobre alguns assuntos. Ela consegue fazer resoluções diferentes do que se espera em situações clichês como apresenta e eu fico bem aliviada com isso porque em alguns momentos eu lia algo e já vinha na cabeça aquela resolução-que-sempre-vemos e eu ficava 'ah não', mas na realidade a Elle fazia algo diferente - e geralmente mais maduro do que o que costumamos ver em NAs.
É bom estar em casa. Sem querer dar uma de Dorothy, não há lugar como nosso lar.
#melhores_referências
Estou bem empolgada com essa série. É difícil eu conseguir me concentrar em leituras assim, a ponto de conseguir ler muito sem perder o foco e acho que essa trama tem tudo tão na-medida que a gente simplesmente precisa continuar a leitura sem demora. Bem, e não posso terminar a resenha sem deixar de registrar que esse livro tem uma das cenas mais inusitadas que já li em romances hot - e devo dizer que eu já li bastante - e é um fato tão memorável que se você perguntar a alguém que já leu, a pessoa vai lembrar desse fato, porque é inesperado e mesmo antes da cena, existe uma menção muito engraçada que fica na memória. Sério, esse livro é divertido demais!!!!

O livro, apesar de ter esse arco sobre o romance que eu achei bem furado, é muito divertido e cheio de situações fofas então admito que cheguei ao final da leitura super feliz e esquecida dos problemas que tive em relação a esse detalhe. Esse livro termina num momento muito bonitinho e eu realmente gostaria de ter ficado mais com esses protagonistas! Então, estou prestes a ler O Jogo porque sei que apesar de acompanhar Dean Lindo, vou poder matar a saudade de Logan e Clare e G. e Hannah.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

- Adoro saber a opinião dos leitores! Deixe seu comentário e eu responderei no seu blog, mas nada de comentários ofensivos hein?